Entendendo e Vivendo

Ó SENHOR, É DIFÍCIL SER HUMILDE

Eu lembro a letra da canção de Mac Davis de 1979, “Ó Senhor, é difícil ser humilde”; a música é contagiante, e as palavras falam em ser “perfeito todos os dias” e de ficar “com melhor aparência a cada dia”, entre outras coisas. No nosso mundo, a humildade está freqüentemente em baixa. Henry e Richard Blackaby definem “o método mundial” para a auto-estima: “Pegue toda a oportunidade de se autopromover diante dos outros; aproveite as ocasiões para o reconhecimento e para manipular seu caminho para ser o centro das atenções” (Experimentando Deus dia a dia, 27 de agosto (Experiencing God Day by Day, 27 de Agosto). Por outro lado, temos o caminho de Deus: “Humilhe-se. Mais do que procurar reconhecimento e posições influentes, procure colocar os outros em primeiro (...) Um dos muitos paradoxos da vida dos cristãos é que, quando Deus vê sua humildade genuína, ele o exalta.” (ibid)

FÁCIL DE SER DESENCORAJADO

Uma das coisas mais desencorajadoras que eu encontro ao ler o Antigo Testamento é o ciclo contínuo de Israel de “pecado, castigo, arrependimento e libertação”. Henry Blackaby e Claude King destacam dois desses ciclos, em Juízes 2 e 3, para explicarem o contexto (veja Juízes 2.7-18 e 3.7-11). Primeiramente, as pessoas servem ao Senhor. Depois, abandonam seus caminhos. Deus, então, derrota-as usando seus inimigos. Eventualmente, elas gritam por ajuda. Finalmente, o Senhor tem compaixão e salva-as. Algumas vezes, esse processo necessita de cativeiro.

A MALDIÇÃO DO MODERNO - RIQUEZA

A sociedade de hoje é a mais próspera da História;temos mais tecnologia: do Blackberry3 ao  iPod4; da conexão da Internet aos aparelhos de vídeo e celulares que tiram fotos. Nosso padrão de vida continua a subir, pois algumas famílias têm dois trabalhadores ganhando dinheiro. Essa “prosperidade” ainda nos trouxe aumento dez vezes maior na população das prisões, nos últimos trinta anos. Quarenta e três por cento dos casamentos terminaram em divórcio em quinze anos, e próximo a dois terços das segundas uniões também se desfizeram. Trinta e sete por cento dos recém-nascidos são frutos de relacionamentos extraconjugais. Muitos de vocês lêem os títulos dessas notícias todos os dias. Estatísticas contam uma parte da História.

UM DE NOSSOS OBJETIVOS COMO CRISTÃOS

Eu acredito que muitos de vocês ouviram falar dos vídeos e do livro Uma vida com propósitos, do Pastor Rick Warren. No Afeganistão, nós fizemos uma série de sermões e de pequenos grupos para estudarmos os propósitos de viver. Nessa obra, Warren sustenta que os cristãos são “planejados para viverem o prazer de Deus” (adoração), “formado[s] para a família de Deus” (companheirismo), “criado[s] para ficarem como Cristo”(disciplina), “moldado[s] para servirem a Deus”(ministério) e “feito[s] para uma missão”(evangelização). Note que a evangelização é a culminância dos objetivos de Deus para sua vida como fiel. Você não estará completo se não trabalhar como embaixador de Cristo (2 Coríntios 5:172).

O MAIOR DESAFIO – A DISCIPLINA ESPIRITUAL

Um dos meus grupos de estudo da Bíblia, em Salerno, no Afeganistão, vinha trabalhando com o livro The Life you’ve always wanted: Spiritual Disciplines for Ordinary People [A vida que você sempre desejou: disciplinas espirituais para pessoas comuns], do Pastor John Ortberg. Ele faz observações muito importantes em relação a hábitos dos cristãos na cultura moderna. Primeiramente, muitos gostam da “Oração do Pai Nosso” quando está desesperado ou em crise.