E SUCEDEU, depois da morte de Josué, que os filhos de Israel perguntaram ao SENHOR, dizendo: Quem dentre nós primeiro subirá aos cananeus, para pelejar contra eles? E disse o SENHOR: Judá subirá; eis que entreguei esta terra na sua mão.    

Juízes 1:1-2 

 

INTRODUÇÃO

Ler Juízes é ver uma sequência de fotos da vida do ser humano repetidas vezes. É perceber o ciclo de erros e arrependimentos causado pela fraqueza, pela inconstância, pela desobediência humana. É entender porque a Bíblia repete tantas vezes alguns princípios, alguns valores. Também é perceber o quão grande é o amor de Deus, quão grande é a misericórdia do Senhor, quão longânimo Ele é, quão extremamente paciente se apresenta para o homem, que não compreendeu ainda tão grande amor. Este livro, em contraste com o anterior, o de Josué, mostra um povo que não se firmou no Senhor que os levou até aquela terra, no Senhor que havia prometido e cumpriu a Sua promessa de dar a Abraão e sua descendência a terra de Canaã, no Senhor e Deus que tudo lhes provinha, nada lhes faltara até então, não soubera fazer de Deus o seu único Senhor e Provedor! Aparentemente o povo não sabia o que fazer sem um líder de carne e osso, como era Josué. Somos assim hoje? Necessitamos de homens que nos liderem para que possamos realmente obedecer a Deus? Efetivamente não. Pois se verá que neste livro o Senhor levantou muitos no meio do povo para que o liderassem e mesmo assim, quantas mazelas fez o povo de Deus! O quanto desobedeceu aos mandamentos de Deus! Este é um livro para que cada um de nós repense as nossas ações diárias, as nossas vidas cíclicas; é um livro para que aprendamos a interromper o moto-contínuo dos nossos erros e acertos. Deus tem nos aperfeiçoado através da Sua Palavra, através do Seu Espírito, através do Seu amor! Que estejamos atentos a isso e reflitamos sobre este livro, retendo sempre o melhor do Pai para nós!

 

UM PANORAMA DO LIVRO DE JUÍZES

O autor deste livro não é confirmado por nenhum historiador, supõe-se ter sido escrito pelo profeta Samuel, pela proximidade histórica, por ser ele também escritor e por ter sido também um dos juízes do povo de Deus, contudo sua história dá-se no próprio livro de Samuel. O fato é que este período, de aproximadamente trezentos anos, foi muito conturbado para o povo de Israel. Sem um líder central, Israel estava se organizando como uma nação, embora dividida entre doze tribos, cada uma com seu quinhão de terras, exceto a tribo de Levi. Até então o povo de Deus era guiado por um único líder que era escolhido e consagrado pelo Senhor Jeová. Mas naquele momento Deus seria o “mensageiro” direto da Sua nação, o líder e condutor imediato dos hebreus. Além disso, Israel teria que livrar-se dos povos idólatras que ainda ocupavam terras em Canaã. Como lidar com isso? Por aproximadamente trezentos anos, como veremos na sequência da lição do trimestre, houve momentos de altos e baixos espirituais e sempre a intervenção divina. A terra prometida ainda precisava ser purificada, os povos remanescentes precisavam ser expurgados a fim de que Israel não se contaminasse. Porém não foi assim que a história se desenrolou. E assim se desenrolou um período de grande perturbação.

 

ESTABELECENDO-SE EM CANAÃ

É necessário se fazer esta retrospectiva, buscando no fim do livro de Josué o início sensato que deveria ser de toda história de Juízes. Josué agora está morto, porém antes de sua morte ...ajuntou Josué todas as tribos de Israel em Siquém e chamou os anciães de Israel, e os seus cabeças, e os seus juízes, e os seus oficiais, e eles se apresentaram diante de Deus”. (Josué 24:1). Esse chamado tinha uma intenção bem clara por parte do então líder de Israel: discorreu ele sobre o que Deus havia feito após prometer aquela terra a Abraão, todos os milagres e livramentos, todos os cuidados e bênçãos que teve e deu a Israel. Josué de alguma forma transparecia uma preocupação com o que o seu povo faria sem um líder instituído para aquela nação, pois houve Moisés, ele e não mais um outro. Relembrou ao povo que Deus sempre fora fiel em tudo e nunca o abandonou! Então disse aos hebreus: Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do rio e no Egito, e servi ao SENHOR. Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR. (Josué 24:14,15).

Essa lembrança tão enfática e esclarecedora bastaria para que o povo de Deus entendesse o Seu poder e o Seu amor e a Sua fidelidade, mesmo assim Josué alerta-o quanto ao servir, mostrando-lhe que era livre para servir a quem melhor lhe aprouvesse, entretanto Josué permaneceria firme aos pés do Senhor quando diz que ele e a sua casa permaneceriam servindo a Deus. Ele sabia que não mais estaria entre aqueles líderes que vieram à presença de Deus, então exorta-os sobre a importância de continuarem servindo ao Senhor e estimulando o povo a fazerem o mesmo, pois sabia que o povo já havia caído em desgraça antes por não ter como único Deus o Seu Senhor. Embora estabelecidos em Canaã, faltava ainda o expurgo dos povos que lá ainda habitavam. E não era da vontade de Deus que o povo se contaminasse, por isso era necessário que todos os povos remanescentes habitando ainda em Canaã fossem retirados da terra.

Após o retrospecto dos feitos do Senhor e o alerta dado pelo líder Josué, era de se esperar a resposta dada pelo povo de que “...Nunca nos aconteça que deixemos o SENHOR para servirmos a outros deuses; porque o SENHOR é o nosso Deus; ele é o que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egipto, da casa da servidão, e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho que andamos e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos. (Josué 24:16,17). Infelizmente essa afirmação do povo ficou no vazio. Henrietta C. Mears, em seu livro “Estudo Panorâmico da Bíblia”, comenta sobre esse início do povo de Deus em se inserir na terra prometida, dizendo: “Grande parte da terra prometida estava por conquistar. O primeiro ato dos filhos de Israel foi procurar a vontade de Deus quanto ao modo pelo qual deveriam iniciar a conquista final. Começaram bem. Consultaram a Deus”.1 Posto que não havia um líder escolhido diretamente por Deus, os líderes tribais recorreram diretamente ao Senhor; e como disse a escritora Henrietta, começaram bem, procuraram Aquele que sabe de todas as coisas. E seria necessário, pois ainda havia cananeus, heveus, heteus, amorreus, jebuseus.

 

ENTRAVES POLÍTICOS E GEOGRÁFICOS

Israel é um povo composto de tribos, ou seja, os filhos de Jacó compõem a nação israelita, e cada tribo possui um líder, e isso torna este povo uma nação heterogênea quanto à liderança. Aqui cabe um parêntesis. Quando falamos dos filhos de Jacó, povo israelita, tribos em Canaã, referimo-nos aos seus dez filhos, começando por Rúben, Simeão(Levi não herdou terras, mas todos os outros supririam as suas necessidades), Judá, Zebulom, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali e Benjamim. As outras duas tribos são compostas pelos netos de Jacó, filhos de José, chamados Manassés e Efraim. Podemos observar isso no mapa:

 

O capítulo 49 de Gênesis relata as bênçãos do patriarca aos doze filhos, os dez já citados e ainda Levi e José, porém no estabelecimento do povo em Canaã, José já havia morrido e Levi não herdou terra(Josué 14:4).

 

Embora sendo homogênea no tocante a cultuar o mesmo Deus, Israel se fragmenta quanto às diretrizes a serem tomadas a partir de agora. Quando havia um único líder para todo o povo, todos seguiam as orientações que lhes eram dadas por ele. A figura deste comandante não existe mais. Agora o que há são lideranças isoladas. No livro Juízes e Rute: introdução e Comentário, de Cundall e Morris, há uma referência a essa situação quando se diz: “Parece que uma das principais diferenças é que no livro de Juízes se dá mais atenção às tribos individuais, em particular à de Judá, enquanto em Josué a conquista é vista como a obra de tribos unidas sob um líder”.2 E é isso que se descortina, Israel, neste momento, é um povo subdividido administrativa e militarmente.

Somado a isso está o problema geográfico. Além de se ter um comando dividido, a terra, que ainda continha povos idólatras, era acidentada como constata Cundall e Morris:

 

Os fatores geográficos tinham profunda influência, visto que era nos vales e nas planícies costeiras que as principais áreas de estabelecimento cananita se encontravam. Do oeste para o leste, a Palestina se divide em: planície costeira, cordilheira de colinas centrais, vale do rio Jordão, e o planalto da Transjordânia. Do norte para o sul, as três principais divisões a oeste do Jordão são: a região bem conhecida como Galileia, a cordilheira central, e as montanhas do sul que se dissolvem nas amplidões desérticas do Neguebe. Como aconteceu na Grécia antiga, estes fatores geográficos tornaram extremamente difícil a união efetiva entre os grupos inter-relacionados.3

 

Com esses dois problemas ligados ao povo de Israel e somado a eles o perigo da contaminação física e espiritual rondando as tribos, fizeram bem os filhos de Israel consultarem diretamente o Senhor Deus quanto à peleja contra os cananeus: E sucedeu, depois da morte de Josué, que os filhos de Israel perguntaram ao SENHOR, dizendo: Quem dentre nós primeiro subirá aos cananeus, para pelejar contra eles? E disse o SENHOR: Judá subirá; eis que lhe dei esta terra na sua mão”. (Juízes 1:1-2). E aqui há um detalhe interessante na sequência do relato bíblico, pois Deus foi bem enfático na Sua afirmação: Judá subirá, eu lhe dei está terra na sua mão(vs. 2). Foi isso que disse Deus, Ele não falou: Vá e chame Simeão para ir contigo. Contudo desta forma é que se comportou Judá: Então, disse Judá a Simeão, seu irmão: Sobe comigo à herdade que me caiu por sorte, e pelejemos contra os cananeus, e também eu contigo subirei à tua, que te caiu por sorte. E Simeão partiu com ele (Juízes 1:3).

Quando lemos as passagens bíblicas em que Moisés e Josué são citados e aparecem como líderes, vemos o povo criticando, desobedecendo, murmurando. Mas neste momento em que houve a fragmentação do poder concentrado, surge a insegurança também. No Comentário de Beacon, o escritor fala que:

 

Desse modo, o povo perguntou ao Senhor (1),1 provavelmente por meio de Fineias, o sumo sacerdote (Números 27:21; Josué 24:33; Juízes 20:28). A resposta foi clara e inequívoca: Judá - o quarto filho de Jacó (Gênesis 29:35) e, consequentemente, a tribo que descendia dele - subirá; eis que lhe dei esta terra na sua mão (2). Aparentemente os homens de Judá sentiam-se despreparados para a tarefa, porque apelaram a Simeão(grifo nosso) - a tribo que descendia do segundo filho de Jacó ou Israel (Gênesis 29:33) - “se vocês nos ajudarem a expulsar o inimigo de nosso território, então nós faremos o mesmo por vocês”.4

 

No início, percebemos a dificuldade do povo de Israel em confiar totalmente na palavra e no poder de Deus, decerto o Senhor não os abandonaria e continuaria sendo fiel como sempre havia sido desde o início de tudo! Todavia a situação de não se ter um único líder unindo todo o povo, a situação geográfica nem sempre apropriada e uma vizinhança nada acolhedora davam a Israel um sentimento de insegurança.

Então percebemos que esse estabelecer-se como uma grande nação seria trabalhoso e de grande complexidade para o povo de Deus; embora fosse um povo vitorioso, ainda não sabiam lidar com o poder de Deus fora da figura de um líder. E mais, esqueceram-se de tudo o que o Senhor havia dito, orientado; e ainda, Josué os havia advertido. Por menos que aquela geração tivesse participado dos grandes feitos de Deus, a cultura oral mantinha na memória a fidelidade do Senhor. Já em Deuteronômio, Deus alertava-os: Quando o SENHOR, teu Deus, te tiver introduzido na terra, a qual passas a possuir, e tiver lançado fora muitas nações de diante de ti, os heteus, e os girgaseus, e os amorreus, e os cananeus, e os ferezeus, e os heveus, e os jebuseus, sete nações mais numerosas e mais poderosas do que tu; e o SENHOR, teu Deus, as tiver dado diante de ti, para as ferir, totalmente as destruirás; não farás com elas concerto, nem terás piedade delas; nem te aparentarás com elas; não darás tuas filhas a seus filhos e não tomarás suas filhas para teus filhos; pois elas fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do SENHOR se acenderia contra vós e depressa vos consumiria(Deuteronômio 7:1-4).

 

CONCLUSÃO

Chegar até a terra prometida fora um grande desafio para o povo de Deus, já não tinha o seu líder, Josué, que recebia as orientações diretamente de Deus e então as repassava fielmente, porém muito ainda havia para ser feito. O Senhor em momento algum desamparou Israel desde a saída do Egito, sempre esteve ao seu lado. Logicamente havia naquela terra empecilhos que não facilitariam assentarem-se com tranquilidade, mas o Deus único estava com eles! Até aqui o Senhor tinha vencido todas as batalhas, estava sempre à frente dos combates, não desamparara Israel! Na verdade, não havia o que temer. Só obedecer! Poderemos aprender com este livro de Juízes, no decorrer das outras lições, como é importante ouvir a voz do Senhor, conscientizarmo-nos das nossa fraquezas, muitas vezes da nossa infidelidade, e como Deus é misericordioso! Tão paciente e amoroso. Embora Israel tivesse recebido tanto de Deus, não aprendera de Deus a Sua vontade e nem soubera empreender o poder dado a eles. Na sequência das lições observaremos estes detalhes que tanto amarguraram o coração de Deus como fez com que o povo não se firmasse como a nação mais abençoada de toda a região.

 

 

PERGUNTAS PARA DISCUSSÃO EM CLASSE

 

1 – Comente em classe a sua visão sobre a necessidade, ou não, de se haver um líder à frente do povo de Deus.

R.__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2 – Diante de todo o histórico do povo de Deus, desde o patriarca Abraão, passando por Isaque, Jacó, Moisés e por último Josué, como você vê a atitude de Judá em Juízes 1:1?

R.__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3 – E como você vê a atitude de Judá em Juízes 1:3, após a afirmação do Senhor no versículo 2?

R.__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

4 – Quais os fatores que dificultariam a tomada total da terra prometida por Deus aos hebreus?

R.__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

5 – Observando o início do livro de Juízes, o que você pode aprender e aplicar na sua vida?

R.__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

1 MEARS, Henrietta C. Estudo Panorâmico da Bíblia. Traduzido por Mazinho Rodrigues. Flórida. Ed. Vida. 1982, pág. 89

2 CUNDALL, Artur E.; MORRIS, Leon. Juízes e Rute: Introdução e Comentário. Tradução de Oswaldo Ramos. S. Paulo. Ed. Mundo Cristão. 1986, pág. 21

3 CUNDALL, Artur E.; MORRIS, Leon. 1986, pág.37

4 COMENTÁRIO BÍBLICO BEACON: Vários autores. Tradução de Emirson Justino e Degmar Ribas Júnior. R. de Janeiro. CPAD. 2005, pág. 96

Artigos Relacionados

O povo de Deus em guerra interna, domingo
  Mas tu põe os levitas sobre o tabernáculo do testemunho, e sobre todos os seus utensílios, e sobre tudo o que pertence a ele; eles levarão...
Decadência religiosa, domingo
  Agora, pois, ó Israel, que é que o SENHOR teu Deus pede de ti, senão que temas o SENHOR teu Deus, que andes em todos os seus caminhos, e o...
Sétima opressão
  Porque eis que tu conceberás e terás um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu de Deus desde o...
Sexta opressão, quarta-feira
  Porque, havendo-a alguns ouvido, o provocaram; mas não todos os que saíram do Egito por meio de Moisés.     Hebreus 3:16  A...