SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.

2 Timóteo 3:1 

MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;

1 Timóteo 4:1 

INTRODUÇÃO

   Quando Paulo escreveu sua segunda carta a Timóteo, uma carta de despedida desse servo de Deus a seu filho espiritual, o Espírito Santo o inspirou a deixar uma mensagem de advertência a todos os cristãos que leriam suas palavras, principalmente aqueles que viveriam sobre a terra nos dias que antecederiam a manifestação do anticristo e a vinda do Senhor. Essa advertência já havia sido dada na primeira carta que Paulo escrevera a Timóteo, mas não de forma tão intensa, cheia de detalhes, a respeito da moralidade que estaria sendo praticada tanto pela sociedade como também por alguns dentro da Igreja de Cristo.

   Nessa semana vamos nos aprofundar nas características dessa sociedade apóstata dos últimos dias e procurar ver como que o diabo trabalha para levar os seguidores de Cristo a abandonarem a fé, seguindo a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios. 

 

UMA VISÃO GERAL DE PAULO EM SUAS CARTAS

   Em suas cartas Paulo se refere a um período de apostasia e engano que antecede o aparecimento do anticristo e a vinda de Jesus. Em 2 Tessalonicenses 2:3 o apóstolo é muito claro em afirmar que antes que o homem da iniquidade se manifeste haverá uma apostasia. Obviamente que se estamos falando de apostasia, estamos falando de um afastamento significativo que vai acontecer entre os que professam serem seguidores de Jesus. Mais adiante, em 1 Timóteo 4:1 temos uma advertência muito clara que complementa 2 Tessalonicenses 2:3 onde Paulo diz que nos últimos dias alguns apostatariam da fé dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios. Portanto, temos muito claro nos escritos paulinos que haverá uma apostasia e que ela se daria pela influência de espíritos enganadores.

   Como resultado dessa apostasia Paulo diz, em 2 Timóteo 4:3 que esses apóstatas se cercariam de mestres que lhes ensinariam a andar em suas próprias cobiças. Vemos isso já acontecendo em algumas denominações falsamente autodenominadas cristãs. Elas estão deturpando o Evangelho ensinando doutrinas de demônios em detrimento da pura e verdadeira Palavra de Deus.

   Diante dessa situação devemos nos preocupar em como evitar fazer parte dessa apostasia. Para isso podemos olhar para 2 Timóteo 3:1-5 e ver ali as características daqueles que não herdarão o reino de Deus. Aquelas peculiaridades são a causa do abandono da fé em nossos dias e conhecê-las nos auxiliarão a enfrentá-las com clareza para que não venhamos a fazer parte daqueles que seguirão com o mundo e perderão sua oportunidade de viver com Jesus por toda a eternidade.

 

EGOÍSMO (2 TIMÓTEO 3:2)

   Umas das características da sociedade dos últimos dias é o egoísmo. Do grego antigo (ϕίλαυτοi, filautói), significando principalmente uma pessoa que tem amor apenas por e para si mesmo. Quando lemos o Novo Testamento e analisamos os mandamentos deixados por Jesus à sua Igreja, vemos claramente que devemos servir ao próximo (Mateus 23:11), negar a nós mesmos (Marcos 8:34), não ser egoístas (Romanos 2:8) e socorrer aos necessitados. Isso significa alimentar o faminto, saciar o sedento, hospedar o estrangeiro, vestir aquele que nada tem, visitar os enfermos, visitar os presos e dar esmolas (Atos dos Apóstolos 20:35; Mateus 25:35 36; Lucas 12:33; Atos dos Apóstolos 10:4 e Tito 3:14).

   O problema é que vivemos em um século onde o antropocentrismo (isto é, o homem como centro de tudo e de todas as coisas) se tornou a regra do dia. A humanidade deixou Deus de lado e passou a viver para si mesma. Os homens correm em busca de prazer, poder, glória e posses. Primeiro se preocupam com o eu para depois pensarem nos outros. E mesmo quando pensam nos outros, esses pensamentos estão ligados em como poder se beneficiar desse relacionamento. Ainda ouvimos falar de trabalho escravo em pleno século XXI, mesmo em nosso país. O que leva uma pessoa a explorar outra senão o desejo de ganhar mais e mais para a satisfação pessoal? O egoísmo é a marca dessa sociedade que se esqueceu que existe um Deus nos Céus que irá julgar todos os homens.

   O egoísmo é um dos motivos de abandono da fé. Existem muitos professos cristãos que deixam os caminhos de Deus para fazerem suas próprias vontades carnais. Quantos homens e mulheres colocam seus interesses pessoais à frente da família, dos amigos, da Igreja e da sociedade para aproveitar “o mundo e as suas concupiscências”. Sabem que na Igreja não poderão viver como seu ego deseja e preferem abandonar tudo para viver para si mesmos.

 

ARROGÂNCIA (2 TIMÓTEO 3:2) 

   A arrogância nada mais é que o orgulho, a soberba. Origina-se de um vocábulo grego antigo (υπερηφανi, hiperefani), indicativo de uma pessoa tão orgulhosa que beira a petulância, a insolência. Temos no relato bíblico que Satanás se encheu de orgulho por causa de sua formosura (Isaías 14:12-14; Ezequiel 28:12-15) e isso o levou a se rebelar contra Deus trazendo toda a miséria que hoje conhecemos, tanto aos anjos que caíram com ele, como a toda a humanidade. O orgulho tem destruído nossa sociedade. Por causa do orgulho, os homens roubam, trapaceiam e se corrompem para conseguir aumentar seus ganhos e influência. Outros exploram seus semelhantes para aumentar suas riquezas. Isso tudo fazem para demonstrar um status que lhes dá prestigio, poder e satisfação. Querem ser louvados pelos demais homens e se sentirem superiores aos seus semelhantes. Quantas pessoas têm destruído suas finanças e reputação só para poder comprar uma casa nova e maior, um carro novo, roupas finas e caras, só para impressionar aos outros. Ficam devendo muitas vezes o dinheiro que não tem pelo orgulho de poder ostentar o que não são.

   Mas o que é mais triste é quando o orgulho se infiltra dentro do povo de Deus. Esse tem sido o pecado de muitos líderes, incapazes de se opor a bajulação de alguns membros da igreja. Acham que pelos seus dons são dignos de receberem louvores dos homens. Esquecem-se que seus talentos nada mais são que presentes de Deus para serem usados na propagação do Evangelho e para o engrandecimento do Senhor. Muitos bons cantores cristãos se afastaram de Deus e seguiram o mundo porque se orgulharam do dom recebido e passaram a usá-lo para beneficio e satisfação própria, inflando o ego humano com as glórias desse mundo. Falta o sentimento que habitava em Jesus que “sendo Deus se humilhou como servo” (Filipenses 2:5-8).

   Como cristãos precisamos ser mais humildes (Mateus 5:3). Os discípulos de Cristo aprenderam essa lição da pior maneira possível. Cada um queria ser o maior, mas Jesus disse que o maior é o que serve (Lucas 22:24-27). Portanto, o maior remédio contra o pecado da arrogância é servir aos nossos semelhantes, e isso sempre de forma desinteressada, sem esperar qualquer retribuição.

 

IRREVERÊNCIA (2 TIMÓTEO 3:3)

   Quando a TV mostra um desfile de escola de samba apresentando Jesus sendo esbofeteado pelo diabo ou, então, o YouTube exibe uma apresentação musical LGBT, onde o público grita a plenos pulmões “Jesus é gay, Jesus é gay”, podemos entender o que significa irreverência. A palavra grega que foi traduzida por irreverência exprime a ideia de impiedade, falta de respeito com as coisas de Deus. Vivemos em uma sociedade irreverente. Faz-se deboche com as coisas santas desde o mais velho até as crianças. Há muito tempo que Deus deixou de ser Deus para essa geração. Músicas, programas de TV, documentários, filmes, peças de teatro, passeatas e outras atividades passaram a ser usadas para afrontar os valores sagrados. Algumas modalidades de vitupério são, na legislação brasileira, tipificadas como crime (v.g. calúnia, injúria e difamação). Tratam-se de condutas ilícitas e criminosas que, quando devidamente comprovadas, recebem a punição prevista na lei e aplicada pela maioria das Cortes de Justiça. Vale lembrar, contudo, que há condutas ofensivas aos bons costumes, à moral e à fé cristã que não são classificadas como crime, apesar de inconvenientes, razão pela qual deixam de ser punidas pelos juízes. Mas uma pessoa pode ser considerada “politicamente incorreta” por dizer que a homossexualidade é pecado e até mesmo responder judicialmente por isso. Porém, ninguém será tratado da mesma forma se afrontar os valores e crenças cristãs.

   A irreverência também se manifesta no meio cristão e muitos tem abandonado as fileiras de Cristo porque são desrespeitosos com os valores sagrados. Muitos teólogos têm posto em dúvida a Bíblia. Desafiam a Deus liberando em suas igrejas um estilo de vida contrário a Sua Palavra. Hoje é comum vermos o adultério, o descaso para com o casamento, roupas indecentes e extravagantes, mau comportamento social, etc., em algumas igrejas. Foi esquecido que estamos diante de um Deus Santo que os anjos velam os rostos em sinal de temor e respeito (Isaías 6:2). Por causa dessa atitude de se tratar as coisas sagradas não mais tão sagradas como antes é que muitos jovens têm se tornados mundanos e chegaram ao ponto de não mais crer que Deus existe. Filhos de pastores, presbíteros e líderes estão se afundando no mundo e se associaram à irreverência desse presente século. Temos que ter bem claro o perigo de esquecer que as coisas de Deus são de Deus, não nossas. Não temos o direito de fazer o que agrada nossa vontade e sim o que agrada a Deus.

 

AMIGAS DOS PRAZERES (2 TIMÓTEO 3:4)

   Vivemos em um tempo que os homens buscam todo tipo de prazer. Claro, não devemos e nem podemos afirmar que os prazeres da vida se constituem pecado em si mesmos. O prazer foi criado por Deus para o homem. A gostosa sensação de estar à beira do mar em um dia quente de verão é um prazer maravilhoso. Não estamos falando dos prazeres lícitos e equilibrados, mas sim de ser “amigos dos prazeres”, ou seja, a busca desenfreada por aquilo que é prazeroso. Os vocábulos no Novo Testamento grego traduzidos por “amigos dos prazeres” expressam uma pessoa que ama os prazeres acima de qualquer coisa.

   As drogas têm se tornado um dos flagelos de nossos dias exatamente porque proporciona um prazer intenso ao seu usuário. Sexo livre, bebedeiras, orgias, festas mundanas, atividades que liberam muita adrenalina, entre outras coisas, fazem parte dessa faceta da nossa geração e se enquadram em ser “amigos dos prazeres”. Os homens estão mais interessados em buscar essas fontes de satisfação do que buscar Aquele que é a fonte da verdadeira satisfação.

   No meio do povo de Deus também existem aqueles que estão mais preocupados com os prazeres desse mundo do que com as coisas do Senhor. E viver dessa forma leva ao abandono da fé. Muitas coisas que em si são lícitas podem ser pedra de tropeço. Nos dias de hoje, com a tecnologia, podemos ter acesso às coisas que num tempo não muito distante eram difíceis de se obter. Mas essa mesma tecnologia pode roubar o tempo que pertence a Deus. Qualquer pessoa pode ficar presa aos excessos de entretenimento que são ofertados hoje. Temos Netflix, Disney Plus, Amazon Prime, TV por assinatura, You Tube, Internet, etc. Quantos cristãos estão deixando de separar um tempo de comunhão com Deus mas não se importam de dispensar grande parte do seu tempo em ver diversas séries e filmes na TV? Quantos gastam tempo para assistir competições esportivas mas não leem à Bíblia? Quantos jovens e adultos se tornaram cristãos nominais porque deixaram de se alimentar espiritualmente mas alimentam a carne com coisas desse mundo? Estão a um passo da apostasia.

   No passado as igrejas estavam sempre repletas de pessoas que buscavam a Deus. Nos dias atuais um grande número de crentes procura encontrar desculpas para não ir à igreja. O cansaço é a principal delas. Existem aqueles que também reclamam da programação do culto, outros do desconforto dos bancos da igreja, etc. Mas quando se trata de festas, viagens e diversões não existe nada que os impeçam de participar, nem mesmo o desconforto momentâneo. Como podem esses cristãos querer entrar no Reino dos Céus se o seu coração está nesse mundo de pecado? Não questionamos que os prazeres lícitos nos foram dados por Deus para a alegria humana. Mas devemos “buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e as demais coisas serão acrescentadas” (Mateus 6:33).

 

TRAIÇÃO E ATREVIMENTO (2 TIMÓTEO 3:4)

   A traição é um dos piores pecados que alguém pode cometer contra outra pessoa. Isso porque aquele que trai desfruta da confiança daquele que é traído. Vivemos em uma sociedade que nutre essa característica abominável. As maiores traições estão dentro da instituição do casamento. É comum homens e mulheres manterem relacionamentos extraconjugais nos dias de hoje. Quem convive com pessoas que não se importam com a moralidade cristã sabe como é o comportamento desses com relação ao casamento.

   O pecado da traição também ocorre dentro da igreja. Só que ali a traição se manifesta de formas mais sutis. Ela acontece quando alguns falsos irmãos, prejudicam o trabalho que outros estão tentando fazer em favor do Reino de Deus. Por inveja, orgulho ou outro motivo qualquer, ficam minando traiçoeiramente os serviços que servos de Deus estão fazendo para Jesus. Quem age dessa forma está muito próximo da apostasia. Mais cedo ou mais tarde acabará por achar a igreja um lugar de pessoas inferiores e buscará novos caminhos.

   Também temos os atrevidos, ou, em outras palavras, aqueles que não pensam antes de agir, não se importam com as consequências de seus atos. São desrespeitosos. O atrevimento é irmão gêmeo da irreverência. Geralmente um sempre está acompanhado do outro. Pessoas irreverentes são atrevidas, não pensam em como seus atos afetarão o próximo e muito menos se preocupam com os sentimentos e crenças daqueles que diferem deles em qualquer assunto.

   Mais lamentável é esse espírito nutrido por professos cristãos que não se preocupam com as consequências de seus atos e não pensam antes de fazerem qualquer coisa dentro da igreja. Por entenderem que seus direitos estão sendo suprimidos, não se importam em impor sua vontade quer essa afete outras pessoas, quer ela impacte negativamente o Corpo de Cristo. Já existem pastores e teólogos que defendem abertamente que jovens que possuem um relacionamento profundo e duradouro não necessitam esperar pelo casamento para manterem relação sexual. Já existem pastores e teólogos que defendem abertamente o relacionamento homossexual.

   Já existem pastores e teólogos que defendem o aborto. Temos aqui então pessoas abertamente atrevidas, impondo sua “verdade” sem pensar no bem maior da Igreja de Deus. Essa atitude tem levado muitos ao abandono da fé e a se arregimentar ao lado dos exércitos do inimigo da verdade, principalmente os jovens.

 

CULTO MERAMENTE FORMAL (2 TIMÓTEO 3:5)

   A religião de nossos dias se tornou muito formal. Mas temos que cuidar ao usar essa expressão. Muitas pessoas acham que a formalidade no culto está diretamente relacionada com uma forma tradicional de adoração. Mas o que alguns pensam ser uma reunião formal hoje no passado poderia ser considerado um culto abençoado. Não podemos cair no erro de considerar a forma que adoramos a Deus como formalismo religioso. Podemos ter cultos bem conservadores e cheios do poder de Deus e outros cultos modernos e voltados para os jovens com o mesmo poder vivificador. Então o que conta para Deus é com que tipo de atitude interna nos achegamos a Ele. Devemos nos aproximar de Deus para cultuá-lO com coração humilhado, cheios de conhecimento de nossa própria iniquidade e indignidade. Quando assim nos apresentamos diante do Senhor não haverá culto formal. Mas quando nos achegamos ao Senhor com coração orgulhoso, aparentando piedade mas contradizendo essa piedade por causa de nossa altivez, estamos prestando um culto meramente formal (Lucas 18:10-14), algo para alcançar o reconhecimento humano, não de Deus.

 

DIVULGAÇÃO DE FALSOS ENSINOS (1 TIMÓTEO 4:1-3)

   Na Bíblia existe um alerta muito contundente de que nos dias finais desse mundo o falso ensino tomaria conta do mundo cristão e secular. Estamos sempre vendo o surgimento de um novo segmento religioso ensinando heresias.

   O mais triste é ver vários professos cristãos dando ouvidos a esses ensinos de demônios. Teologia da prosperidade, teologia inclusiva, liberalismo, falsos messias, falsos profetas anunciando que Jesus já veio ou marcando datas para Sua volta. Tudo isso são falsos ensinos preparados na oficina de Satanás para enganar os crentes incautos, que não se preocupam em alicerçar-se na Palavra de Deus.

   Paulo disse que haveria muitos que apostatariam da fé por dar ouvidos a doutrinas de demônios. Precisamos tomar cuidado com o modismo religioso. Temos visto verdadeiras aberrações teológicas em nossos dias e as igrejas que defendem esse tipo de doutrina estão repletas de seguidores. Está na hora de nos preocuparmos com a sã doutrina e não com especulações e bizarrices ensinadas por homens carnais.

   Paulo disse que mesmo que um anjo revelasse um outro evangelho que fosse além do que ele havia pregado (Gálatas 1:8) que deveríamos considerar isso um anátema.

   Como então nos deixamos levar por qualquer novidade religiosa só porque os que estão pregando esse tipo de coisa são admirados e louvados pelos homens? Nem todo o que diz Senhor, Senhor entrará no Reino dos Céus, mas apenas aquele que fizer a vontade do Pai que está nos Céus (Mateus 7:21). Então, se esses homens não pregarem a sã doutrina, não procedem de Deus. Apartai-vos desses falsos mestres.

 

CONCLUSÃO 

   Estamos vivendo num período da história em que o homem se colocou no centro da existência colocando Deus em um lugar preterido ou subalterno. A maioria vive como se Deus não existisse enquanto outras fazem de Deus seu “gênio da lâmpada”, exigindo dEle tudo sem dar quase nada em troca. A soberania de Deus foi esquecida. O cristianismo vive um espírito laodiceano (Igreja de Laodiceia, em Ap. 3:14-22) que acha que está rico do poder de Deus. Porém, nas atitudes praticadas se tornou miserável, pobre, cego e nu.

   A igreja de Cristo precisa se afastar do mundo. Quase nada temos hoje nessa terra que possamos considerar como bom para um cristão. A sociedade se prepara a passos largos para o governo mundial do anticristo. Como povo de Deus devemos nos preparar para não sermos apanhados de surpresa e acabarmos juntando fileiras com aqueles que abandonarão a fé obedecendo a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios.

 

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO EM CLASSE

1. À luz desse estudo bíblico e no seu entendimento, o que é egoísmo?

R.

2. Pode um cristão ser arrogante e irreverente? Compare sua resposta com os textos de Mateus 11:29 e Fl 2:5-8.

R.

3. Até que ponto um cristão pode usufruir dos prazeres e ainda permanecer amigo de Deus?

R.

4. Como um crente pode estar sendo atrevido com relação aos seus demais irmãos?

R.

5. O que é um culto formal? Reforce sua resposta com os textos de Mateus 15:7-9 e João 4:23 24.

R.

6. O que é a apostasia que Paulo fala que causaria o abandono da fé nos últimos dias? 1 Timóteo 4:1-5 e 2 Timóteo 3:1-5

R.

7. Como a igreja pode enfrentar esses aspectos negativos que ameaçam a vida espiritual do crente?

R

Related Articles

Bem-aventurados os que não viram e creram
Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram. João 20:29...
Bem-aventurados os que não viram e creram, sexta-feira
Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o...
Bem-aventurados os que não viram e creram, sexta-feira
Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o...
Bem-aventurados os que não viram e creram, quinta-feira
Pela fé José, próximo da morte, fez menção da saída dos filhos de Israel, e deu ordem acerca de seus ossos. Hebreus 11:22...