29:11

Infelizmente a gravação ficou muito baixa!

TRÊS NECESSIDADES URGENTES

1- Ilustração: Uma jovem, que gostava muito de flores, estava cultivando uma roseira junto de certa muralha de pedra. Crescia a planta vigorosamente, mas não florescia. Dias após dias a moça a cultivava, regando-a e fazendo o possível para que ela produzisse. Certa manhã em que a jovem, desapontada, permanecia perto da roseira, julgando que todos os seus esforços tivessem sido inúteis, ouviu a voz de sua vizinha: “Você não pode imaginar o quanto tenho me alegrado com as flores da roseira que você plantou”. A moça, erguendo-se sobre a muralha, pôde ver do outro lado grande quantidade de botões e de rosas; uma haste da planta, atravessando um interstício da parede, fora florescer luxuriante do outro lado. Aí está uma lição magnífica. Muitas vezes somos tentados a julgar que os nossos esforços estão sendo inúteis, quando realmente estão eles produzindo efeitos onde a nossa percepção não os apanha. A nossa missão é a de fazer o bem; os frutos aparecerão onde e quando a PROVIDÊNCIA DIVINA o determinar.”1

2. O nosso assunto hoje é sobre o trabalho de Deus que está sob nossa responsabilidade, a nossa missão.

3. Uma vez que já fomos alcançados com a graça da salvação em Cristo Jesus, precisamos apresentar esta mesma graça a outras pessoas. Essa é a missão que Jesus deixou para a sua Igreja. Um texto bíblico que jamais podemos esquecer é Mateus 28:19 e 20. Mas não basta lembrá-lo; é preciso cumpri-lo.

4. Leiamos Neemias 4 e vejamos três coisas imprescindíveis para que o trabalho de Deus seja feito.

Neemias: Capítulo 4

1 E SUCEDEU que, ouvindo Sambalate que edificávamos o muro, ardeu em ira, e se indignou muito; e escarneceu dos judeus.
2 E falou na presença de seus irmãos, e do exército de Samaria, e disse: Que fazem estes fracos judeus? Permitir-se-lhes-á isto? Sacrificarão? Acabá-lo-ão num só dia? Vivificarão dos montões do pó as pedras que foram queimadas?
3 E estava com ele Tobias, o amonita, e disse: Ainda que edifiquem, contudo, vindo uma raposa, derrubará facilmente o seu muro de pedra.
4 Ouve, ó nosso Deus, que somos tão desprezados, e torna o seu opróbrio sobre a sua cabeça, e dá-los por presa, na terra do cativeiro.
5 E não cubras a sua iniqüidade, e não se risque de diante de ti o seu pecado, pois que te irritaram na presença dos edificadores.
6 Porém edificamos o muro, e todo o muro se fechou até sua metade; porque o coração do povo se inclinava a trabalhar.
7 E sucedeu que, ouvindo Sambalate e Tobias, e os árabes, os amonitas, e os asdoditas, que tanto ia crescendo a reparação dos muros de Jerusalém, que já as roturas se começavam a tapar, iraram-se sobremodo,
8 E ligaram-se entre si todos, para virem guerrear contra Jerusalém, e para os desviarem do seu intento.
9 Porém nós oramos ao nosso Deus e pusemos uma guarda contra eles, de dia e de noite, por causa deles.
10 Então disse Judá: Já desfaleceram as forças dos carregadores, e o pó é muito, e nós não poderemos edificar o muro.
11 Disseram, porém, os nossos inimigos: Nada saberão disto, nem verão, até que entremos no meio deles, e os matemos; assim faremos cessar a obra.
12 E sucedeu que, vindo os judeus que habitavam entre eles, dez vezes nos disseram: De todos os lugares, tornarão contra nós.
13 Então pus guardas nos lugares baixos por detrás do muro e nos altos; e pus ao povo pelas suas famílias com as suas espadas, com as suas lanças, e com os seus arcos.
14 E olhei, e levantei-me, e disse aos nobres, aos magistrados, e ao restante do povo: Não os temais; lembrai-vos do grande e terrível Senhor, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, vossas mulheres e vossas casas.
15 E sucedeu que, ouvindo os nossos inimigos que já o sabíamos, e que Deus tinha dissipado o conselho deles, todos voltamos ao muro, cada um à sua obra.
16 E sucedeu que, desde aquele dia, metade dos meus servos trabalhava na obra, e metade deles tinha as lanças, os escudos, os arcos e as couraças; e os líderes estavam por detrás de toda a casa de Judá.
17 Os que edificavam o muro, os que traziam as cargas e os que carregavam, cada um com uma das mãos fazia a obra e na outra tinha as armas.
18 E os edificadores cada um trazia a sua espada cingida aos lombos, e edificavam; e o que tocava a trombeta estava junto comigo.
19 E disse eu aos nobres, aos magistrados e ao restante do povo: Grande e extensa é a obra, e nós estamos apartados do muro, longe uns dos outros.
20 No lugar onde ouvirdes o som da buzina, ali vos ajuntareis conosco; o nosso Deus pelejará por nós.
21 Assim trabalhávamos na obra; e metade deles tinha as lanças desde a subida da alva até ao sair das estrelas.
22 Também naquele tempo disse ao povo: Cada um com o seu servo fique em Jerusalém, para que à noite nos sirvam de guarda, e de dia na obra.
23 E nem eu, nem meus irmãos, nem meus servos, nem os homens da guarda que me seguiam largávamos as nossas vestes; cada um tinha suas armas e água.

1. NÓS PRECISAMOS TRABALHAR

1. O trabalho, sem sombra de dúvidas é algo imprescindível para a realização da obra de Deus.

2. E não é de pouco trabalho que eu estou falando, e sim de muito trabalho, pois esta é, não só a melhor, como a maior de todas as obras.

3. Toda a igreja precisa trabalhar, e não algumas pessoas isoladas.

4. Vejamos alguns exemplos em Neemias 4, texto que narra parte da ocasião em que o povo de Deus estava envolvido na grande obra da reconstrução dos muros de Jerusalém, de como nós devemos trabalhar na obra de Deus.

a. “Com ânimo” – O povo trabalhou com ânimo. Veja o que diz o sexto versículo: “Assim edificamos o muro, e todo o muro se fechou até a metade de sua altura, porque o povo tinha ânimo para trabalhar”. (ARA)

- Quantas coisas grandiosas nós conseguimos realizar quando temos ânimo, quando estamos motivados!

- Porém, o contrário também é verdade; quando não há motivação, a coisa fica emperrada.

- Muitas foram as vezes em que estivemos animados, motivados para a realização de algumas coisas, dentre elas as construções, a compra de equipamentos, e outras.

- Estaremos nós motivados também para a realização da grande tarefa da evangelização?

- Penso que para esta tarefa, a da evangelização, deveríamos concentrar muito mais ânimo que para qualquer outra, pois se trata do resgate de almas que se encontram condenadas ao inferno; se trata de conduzir estas pessoas à reconciliação com Deus, de colocar seus pés no caminho que as levará à eternidade com Deus.

b. “Cada um em seu lugar” – Veja o que diz o versículo 15 : “E sucedeu que, ouvindo os nossos inimigos que já o sabíamos, e que Deus tinha frustrado o desígnio deles, voltamos todos nós ao muro, cada um à sua obra.”

- Leia os versículos anteriores, do 6 ao 14, para entender melhor este versículo.

- Cada um voltou para a sua obra, cada um em seu lugar.

- Na obra da evangelização também é assim; não são todos que são chamados para serem missionários nos campos; não são todos que conseguem pregar em alto e bom som diante de uma platéia; não são todos que sabem como abordar uma pessoa em particular e, com destreza, anunciar-lhe o evangelho;

- mas todos são importantes, porque Deus tem uma tarefa para cada um dos seus servos, e o que precisamos fazer é nos colocarmos à disposição de Deus, permanecermos em suas mãos para que Ele nos use onde, quando e como quiser.

- Não podemos desanimar porque às vezes a nossa tarefa aparece menos, achando-nos menor que os outros. Podemos até nos dispor diante de Deus e pedir-lhe uma tarefa maior, desde que não seja para nos vangloriarmos, mas não devemos nos esquecer que ninguém poderia fazer nada para Deus, se pelo Espírito não lhe fosse concedido, e tanto para uma “grande” quanto para uma pequena tarefa, a concessão e a capacitação vêm do mesmo Espírito.

c. “Incessantemente” – Eles trabalhavam dia e noite. Veja os versos 9 e 21.

- Eu não posso trabalhar sem parar; e nem você, mas a igreja pode e deve, e, de certa forma, mesmo que sejam poucos os que se envolvem prá valer, ela assim está agindo.

- Os exemplos são muitos. Enquanto nós estamos dormindo em nossa cama quentinha, há muitos cristãos que estão trabalhando para o Senhor;

- eles foram chamados para o ministério da noite.

- Talvez eu não possa fazer isso, mas há aqueles que foram capacitados por Deus para esta tarefa.

- Há muitas coisas que eu não posso fazer, bem como há muitos horários e locais que não são para mim; mas para cada uma dessas situações, Deus tem capacitado pessoas, e, se todos atendermos ao chamado de Deus, a Igreja estará trabalhando incessantemente.

2. NÓS PRECISAMOS ORAR.

1. Notem que, na difícil tarefa da reconstrução dos muros de Jerusalém, com todas aquelas oposições, o povo não se preocupava apenas com o trabalho. Eles também se preocupavam em orar.

2. Veja os versículos 4, 5 e 9.

3. Eles oravam porque sabiam

a. qual era o tamanho de sua força,

b. qual era o tamanho da força de seus opositores,

c. e qual era o tamanho da força do Deus em que eles criam.

4. É claro que eles estavam dispostos a lutar se preciso fosse, mas baseados em sua confiança em Deus.

5. Veja o que Neemias diz a eles quando surge a possibilidade de um confronto direto com o inimigo: “Não os temais; lembrai-vos do Senhor, grande e temível, e pelejai pelos vossos irmãos, vossas filhas, vossas mulheres e vossas casas.”

6. Leia os versículos 7 e 8.

7. Não é maravilhoso ouvirmos Neemias dar testemunho de sua fé em Deus para a realização da obra, quando diante desta situação ele diz: “Porém nós oramos ao nosso Deus...”?

8. Neemias e aquele povo são um exemplo para nós.

9. A nossa obra é muito maior, muito mais dura, sofre muito mais oposição, de inimigos muito mais ferozes, aos quais não temos condições, em nós mesmos, de vencer.

10. Então precisamos orar.

11. A obra e os inimigos são altos demais para nós, mas o nosso Deus é EL ELYON, O Altíssimo, o Soberano Senhor sobre tudo e sobre todos.

12. Não precisamos temer, mas temos que orar, e orar muito.

13. “Nós precisamos trabalhar, como se tudo dependesse de nós, mas também orar, conscientes de que tudo depende da bênção de Deus.”2

3. NÓS PRECISAMOS VIGIAR.

1. Precisamos estar vigilantes para reconhecermos a aproximação do inimigo.

2. A Bíblia tem exortações em abundância sobre a vigilância.

3. Um texto clássico é o de 1 Pedro 5:8 que diz: “Sede sóbrios e Vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge, procurando alguém para devorar.”

4. Vejamos o exemplo em Neemias 4:

a. Nós oramos ao nosso Deus...

b. ... e pusemos uma guarda contra eles, de dia e de noite...

5. Neemias colocou vigias contra os inimigos.

CONCLUSÃO

  1. Precisamos trabalhar! Mesmo sabendo que tudo depende da ação do Espírito Santo, precisamos trabalhar como se tudo dependesse de nós.
  2. Precisamos orar! A obra é por demais grande. Precisamos buscar Aquele que é o Altíssimo, soberano sobre tudo e sobre todos.
  3. Precisamos vigiar! Se não vigiarmos corremos o risco de sermos vencidos pelo inimigo.
  4. Se estivermos atentos, e colocando em prática estas três coisas imprescindíveis, a vitória é certa. Como diz o final do versículo 20: “O nosso Deus pelejará por nós”.
Acessos: 1650