Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; E clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro.

Apocalipse 7:9-10 

INTRODUÇÃO

   Anteriormente, nas duas primeiras lições vimos a importância de missões e como a Igreja deve se envolver com isso. Uma das atribuições dela é (Igreja) enviar missionários, orar por eles e também orar por aqueles que ainda não foram alcançados pelo Evangelho. Mas, enviar missionários para onde? Quem são as pessoas pelas quais devemos orar para que conheçam o Evangelho?

   A lição de hoje tem como objetivo apontar quem são os povos que ainda não foram alcançados. Sabendo disso, nossas orações podem ser mais específicas e nossos objetivos de alvos missionários serão mais direcionados.

   Mas o que significa “povo não alcançado” na matéria de Missões? Em resumo, podemos dizer que são os povos que ainda não receberam o Evangelho. Pode parecer difícil acreditar que, no mundo globalizado, onde a informação está disponível a todos via internet, ainda existam pessoas que nunca tiveram acesso ao Evangelho! Todavia, definir um povo não alcançado vai além disso. Precisamos considerar que ainda existem lugares remotos onde há culturas de povos que nem mesmo têm uma forma escrita oficial, o que dirá ter a Bíblia em sua língua materna. Também precisamos considerar que “povo não alcançado” vai além do acesso ao Evangelho, mas um povo, nação, tribo ou cultura onde não há uma quantidade expressiva de cristãos ativos naquele lugar. Alguns definem como povos não alcançados aqueles lugares onde a presença ativa de cristãos é mais ou menos 15% da população total27. O Projeto Joshua vai além e divide-os em subconjuntos onde há menos de 2% de evangélicos e menos de 5% de cristãos professos·.

   Levando em consideração esses dados chegamos a conclusão que mais de um terço da população mundial ainda não foi alcançada. Mas quem são essas pessoas e onde estão? Veremos isso no decorrer desta lição.

 

NAÇÕES, TRIBOS, POVOS E LÍNGUAS

   Antes de discorrer sobre os povos não alcançados devemos pensar sobre o porquê da necessidade de serem alcançados. Sem mencionar a “Grande Comissão” descrita em Mateus 28:19-20, que é a base sólida e inquestionável sobre esse dever, consideramos a visão que João teve (Apocalipse 7:9-10), onde ele vê o resultado da missão descrita no texto de Mateus citado anteriormente.

   A visão que o apóstolo teve é extraordinária, porquanto aponta as características do povo salvo, que se apresenta diante do trono de Deus. Destaca-se o fato de terem suas vestimentas brancas porque foram alvejadas no sangue do Cordeiro.

   Era uma grande multidão, inumerável. Isso aponta o desafio da missão que é levar o Evangelho a um número incontável de pessoas. E essa multidão era composta por pessoas de todas as nações, tribos, povos e línguas. Isso distingue a abrangência da Missão. Todos devem conhecer o Evangelho, todas as nações, as tribos, os povos, em todas as línguas. João, ao descrever as características da multidão usa a palavra “todas”, então subentende-se que no Céu haverá pelo menos um salvo de cada nação, de cada povo, tribo e língua.

   Mas o fato é que nem todas as nações, povos tribos tribos conhecem o Evangelho. Nem todas as pessoas têm acesso ao Evangelho em sua língua materna. Por isso, a Igreja deve continuar no propósito de concluir o “Até os confins da Terra” (Atos dos Apóstolos 1:8) para que no dia final possamos encontrar no céu um salvo pelo menos de cada nação, povo, tribo e língua.

 

POVOS NÃO ALCANÇADOS

Mulçumanos

   Muçulmano é todo o indivíduo que pratica o Islã, uma religião monoteísta centrada na vida e nos ensinamentos do profeta Maomé, que teria recebido revelações do Arcanjo Gabriel por volta do ano de 610 d.C. Essas revelações foram registradas em um livro chamado Corão (conhecido mais como Alcorão), o livro sagrado do Islã. O Islamismo é a segunda maior religião do mundo e cresce a cada dia. Embora tenham seguidores em todo o mundo sua maioria se concentra na Ásia e na África. O interessante é que Maomé (Muhammad) e seus seguidores, no princípio de sua caminhada, foram perseguidos porque começaram a pregar que existia um único deus (Allah). Eles tiveram que sair de sua terra natal, Meca, e se refugiar em Medina, também na Arábia Saudita.

   Segundo o pastor Marcos Calixto a grande maioria dos diversos ramos islâmicos é formada por pessoas pacíficas, comprometidas com a fé em Alá. Por conseguinte, mesmo que em alguns lugares os muçulmanos sejam perseguidores da Igreja, devemos amá-los30. Eles também são alvo do amor de Deus e precisam ser alcançados. Assim como nós éramos inimigos de Deus, mas fomos alcançados pelo Seu amor, os muçulmanos, que muitos “cristãos” consideram como inimigos, também são objeto deste amor.

   Pontos de convergência: assim como os muçulmanos foram perseguidos no início de sua existência, os primeiros cristãos também foram. Os muçulmanos acreditam em um único Deus, os cristãos também. Esses pontos podem ser usados como pontos convergentes na missão para se alcançar esse povo.

Budistas

   São povos que seguem a religião do budismo. O budismo é a quarta maior religião do mundo e a maioria dos seguidores se encontram no oriente. Estima-se que há cerca de 500 milhões de seguidores do Budismo no mundo, concentrados principalmente no Japão, China, Tibete e Tailândia. No Brasil, existem cerca de 245 mil budistas.

   A filosofia budista é guiada pelos ensinamentos de Siddhārtha Gautama, conhecido como Buda, que significa “iluminado”. Acreditam que o caminho para a libertação está na consciência e que pode ser alcançado por práticas e crenças espirituais, como a meditação. A religião budista, ao contrário do que muitos pensam, na sua forma clássica não é teísta, ou seja, não possui ou adora um deus. Buda não se via como uma divindade que devesse ser adorada, e sim um guia espiritual com seguidores de suas crenças e práticas.

   O Budismo prega o desapego às coisas materiais e tudo o que é transitório, resultando assim, para eles, uma espécie de autossuficiência espiritual. Os budistas também creem que todos os seres possuem encarnações e reencarnações. Por isso, de acordo com as crenças deles, o indivíduo deve ser bom a todos os seres, já que em outra vida pode-se experimentar aquela forma.

   Pontos de convergência: assim como os budistas, nos cristãos também acreditamos que a nossa vida aqui é transitória e que não devemos nos apegar às coisas deste mundo. Nossa esperança não está “na próxima reencarnação” e sim na vida eterna com Cristo Jesus que veio e pagou o preço pelos para libertar-nos do pecado. É uma ideia a ser alcançada na evangelização desses povos.

Animistas

    O que é Animismo: é a ideia de que todas as coisas, incluindo pessoas, animais, características geográficas, fenômenos naturais e objetos inanimados, possuem um espírito que os conecta uns aos outros. Assim, para os animistas, árvores, rochas, terra e água podem ser vistos como elementos controlados por espíritos, nos quais o invisível e o visível se misturam. Há um respeito e temor muito grande pelo espírito dos ancestrais.

   A maioria dos povos tribais é animista. Eles não consideram uma religião, porque para eles tudo é religião, tudo é sagrado. Eles não dividem o sagrado do secular. Na maioria dos casos, o animismo não é considerado uma religião em si, mas sim uma característica de várias práticas e crenças.

    Os povos animistas estão espalhados por toda a Terra.. A maioria dos povos tribais são animistas. O animismo faz parte de uma das maiores religiões seguidas no Japão, o xintoísmo. No Brasil boa parte das tribos indígenas é animista, têm suas crenças nos antepassados e nas forças da natureza. Religiões de origem africana também tem sua dosagem animista, como por exemplo, o candomblé. Outras religiões espíritas também praticam ideias animistas, como por exemplo, orar pelos mortos pedindo proteção.

    Pontos de convergência: os animistas têm muito respeito e temor pelo sagrado. Esse temor e respeito pode ser usado como forma de apresentar o Deus verdadeiro, o Senhor Criador dos Céus e da Terra. Aquele que é dominador sobre todo principado e potestade.

Hindus

   Quem são os hindus? São os povos que seguem o hinduísmo como religião. A grande maioria deles, cerca de 80% se concentra na Índia. O hinduísmo é a terceira maior religião com número de adeptos do mundo, perde apenas para o Cristianismo e o Islamismo.

   O Hinduísmo possui uma tradição desenvolvida e complexa. Seu sistema de crenças engloba práticas religiosas, espirituais e filosóficas. Os seguidores do hinduísmo acreditam em reencarnação, em predestinação, confiam em guias espirituais e persistem no sistema de castas. Os hindus respeitam a tradição, cultuam diversos deuses.

   Embora existam cristãos na Índia, ainda há muitos povos hindus ali que não foram alcançados. Atualmente, em alguns lugares, os cristãos passaram a ser perseguidos pelos hindus, como é o caso do Nepal. Vejamos o seguinte relato:

    Nepaleses são fortemente ligados às suas famílias e comunidades, tornando difícil para alguns se tornarem cristãos por causa das obrigações culturais para com seus pais. Outros são casados com hindus por casamentos arranjados. Curandeiros praticam ativamente feitiços contra crentes e seitas, como a Igreja de Deus da Sociedade Missionária Mundial (que considera a coreana Zhang Gil-jah como Deus-mãe), também são ativas. Uma nova lei foi promulgada na constituição do Nepal em agosto de 2018, proibindo o proselitismo. Com isso, junto a influência do partido hindu governante da Índia, hindus de linha dura e líderes políticos no Nepal intensificaram a perseguição aos cristãos. Embora ainda haja certa liberdade de culto, os cristãos vivem com medo e tomam cuidado ao praticar a fé, pois já houve ataques violentos, prisões e missionários estrangeiros foram deportados.

   Pontos de convergência: O hinduísmo tem seus traços como religião tão antigos quanto o judaísmo e o cristianismo. Os hindus precisam conhecer Aquele que é o Deus de eternidade em eternidade e Seu Filho Jesus que é o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. 

 

NÓS TAMBÉM ÉRAMOS ASSIM

   Quando falamos sobre povos não alcançados não estamos falando de uma realidade alheia a nós. O fato é que em algum momento da história dos nossos antepassados também éramos um povo assim. Não é preciso voltar muitas gerações para constatar isso.

   Um dia Deus usou alguém para levar o Evangelho ao nosso povo ou a nossa família. Diante desta dádiva somos responsáveis por aqueles que ainda não foram alcançados. Por isso não só podemos como devemos orar conforme a ordem de Jesus quando disse: “Por isso, orai ao Senhor da Seara e pedi que Ele mande mais trabalhadores para a sua colheita” (Mateus 9:38). Orar também por aqueles que já estão em campo que as portas se abram para o Evangelho. Podemos nos comprometer em ir até onde estão estes povos. Alguém um dia deixou seu país, sua família, seu conforto para levar as boas novas de salvação que alcançaram nossos antepassados e a nós também. Que o Senhor possa nos despertar a ir além das fronteiras. Como diz a canção: “O Senhor da ceifa está chamando”.

 

A IGREJA PERSEGUIDA

   Você já agradeceu a Deus hoje pela liberdade que você tem em poder professar publicamente sua fé em Jesus? Agradeceu por poder ir à igreja este fim de semana? Ou por poder tranquilamente estudar com seus irmãos esta lição? Já pensou sobre o privilégio ter em suas mãos uma Bíblia impressa e poder carrega-la para onde quiser?

   Você sabia que aqui no Brasil somos amparados por um preceito constitucional(ou seja, acima de qualquer Lei Federal, Estadual ou Municipal) que nos garante o direito de livremente desfrutar de nossa crença religiosa? Confira-se o que está disposto no art. 5º, capult e inc. IV, da Constituição Federal:

   “Art. 5º - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias”.

   Infelizmente nem todos os cristãos desfrutam da mesma liberdade e privilégios que temos em nosso país. Segundo dados da organização cristã Portas Abertas, considerando dados do ano de 2021, mais de 340 milhões de cristãos no mundo enfrentam algum tipo de oposição como resultado da identificação com Cristo. Essa perseguição religiosa acontece quando os seguidores de Jesus não têm os direitos de liberdade religiosa garantidos; quando a conversão ao cristianismo é proibida por conta de ameaças vindas do governo ou de grupos extremistas; essas pessoas, nossos irmãos, são forçados a deixar suas casas ou empregos por medo da violência; são agredidos fisicamente ou até mesmo mortos por causa da fé em Jesus; são presos, interrogados e, por diversas vezes, torturados por se recusarem a negar Cristo.

   A perseguição à igreja não é algo novo, ela sempre ocorreu, desde os seus primeiros passos, ainda em Jerusalém, ela passou a experimentar isso. Mas desde os primeiros mártires, uma marca se destaca: a igreja permanecia em constante oração. Quando Pedro e João foram presos por pregar o Evangelho de Jesus, a Igreja estava em oração por eles (Atos dos Apóstolos 4). Isso aconteceu não só uma vez (Atos dos Apóstolos 12:12). Paulo, quando se encontrava preso por causa de Cristo, pediu que a Igreja orasse por ele, para que o Evangelho continuasse rompendo barreiras (Efésios 6:19 e 20).

   Essa continua sendo a missão da Igreja, orar por aqueles que são oprimidos por causa da sua fé em Jesus. Orar pelas viúvas e órfãos vítimas de ataques dos governos, muçulmanos extremistas ou outros grupos religiosos que se sentem ameaçados pelos cristãos. Clamar ao Senhor que fortaleça a fé daqueles que estão de alguma forma cativos por causa do Evangelho. 

    Portas Abertas traz uma lista de pelo menos 50 países onde os cristãos sofrem algum tipo de opressão. O mínimo que nós, a Igreja livre, deve fazer, é orar pelos cristãos, nossos irmãos, que habitam nestes lugares. Vale a pena conferir o mapa de perseguição mundial e estabelecer um compromisso com essa causa, afinal todos fazemos parte de uma única igreja, espalhada entre todos os povos, nações e tribos. (https://portasabertas.org.br/lista-mundial/paises-da-lista)

 

CONCLUSÃO

   Como vimos no início desta lição, mais de um terço da população mundial ainda não foi alcançada pelo Evangelho. Há lugares em que as pessoas nunca viram um cristão na vida, o que dirá ter conhecido uma pequena porção das Escrituras. A missão é quase que imensurável, mas não significa inalcançável. De fato, Deus continua Sua obra, Sua missão. Todos os dias pessoas que não conheciam Jesus têm se rendido a Ele. O Senhor tem agido de forma sobrenatural entre esses povos. Muçulmanos têm tido visões sobre Jesus, indianos têm presenciado muitos milagres entre os cristãos, a Igreja nos países onde há ferrenha perseguição é a Igreja que mais cresce atualmente. Por que isso ocorre? Porque Deus é um Deus missionário e é de Seu desejo que o Seu Nome seja conhecido e louvado entre todos os povos, nações e tribos.

 

QUESTÕES PARA REFLETIR EM CLASSE

1. De acordo com a introdução desta lição, como podemos definir um “povo não alcançado”?

R.

2. Como a visão que o apóstolo João teve nos faz pensar sobre a abrangência de Missões em relação a igreja? (Apocalipse 7:9-10)

R.

3. Quando você ouve falar sobre muçulmanos, budistas e hindus, qual imagem você cria em sua mente sobre cada um destes povos? Qual estratégia você usaria para se aproximar de cada um deles?

R.

4. Dos povos não alcançados apresentados na lição de hoje, qual lhe chamou mais atenção? Que tal você pesquisar mais sobre ele e estabelecer objetivos de oração para que este povo seja alcançado?

R.

5. Tente fazer uma árvore genealógica e procure descobrir em qual geração seus antepassados conheceram o Evangelho. Você tem se preocupado com a próxima geração no sentido de que o Evangelho os alcance também?

R.

 

Acesse o site: portasabertas.org.br e pesquise sobre os cristãos perseguidos. Fale um pouco com o grupo sobre a realidade destes nossos irmãos. Sugerimos o filme “O outro lado do céu”:

https://www.youtube.com/watch?v=9cYLWy6cPII (filme 1),

https://www.youtube.com/watch?v=GG8CzkFfpfA (filme 2).

Related Articles

Povos menos alcançados no Brasil, sábado
Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, Linguagem sã e irrepreensível, para que o...
Povos menos alcançados no Brasil, sexta-feira
Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas...
Povos menos alcançados no Brasil, quinta-feira
CONJURO-TE, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, Que pregues a...
Povos menos alcançados no Brasil, quarta-feira
E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Efésios 5:18...