E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti, Sansão. E despertou ele do seu sono, e disse: Sairei ainda esta vez como dantes, e me sacudirei. Porque ele não sabia que já o SENHOR se tinha retirado dele.    

Juízes 16:20 

INTRODUÇÃO

   Sansão foi o último juiz que o Senhor levantou como libertador em Israel, as narrativas a seu respeito têm como pano de fundo a parte primitiva da opressão dos filisteus, que só findara no início da monarquia em Israel já nos primeiros anos de Reinado de Davi (2 Samuel 5:17-25).  Seu nome provém do termo Hebraico “Shemesh” que significa Sol.  Ele era o pequeno Sol ou o Solzinho. Seu nascimento foi um grande milagre, pois sua mãe era estéril, anunciado por profecia pelo anjo do Senhor, o seu propósito era iniciar a libertação de Israel do domínio Filisteu, e por isso foi ordenado a seus pais que o menino seria nazireu desde o ventre até o final de sua vida. Nazireu significa  “separado”, ou “consagrado”. O voto de nazireu está descrito em Números 6:1-21 e contêm três exigências para a manutenção do voto:

• O nazireu deveria abster-se de todos os produtos da vinha;

• O seu cabelo deveria permanecer não-cortado durante o período do voto;

• Ele não deveria tocar em cadáver, pois isto seria uma profanação de seu corpo. Qualquer quebra anularia todo o período de consagração ao Senhor.

   Destaca-se que Sansão, especialmente, teria seu voto pro toda a vida e que a escolha em ser consagrado, isto é, nazireu, foi feita pelo o Senhor e não sua. Sansão era especial, porém mesmo dotado pelo Espirito do Senhor, e dedicado a um voto vitalício de nazireu, sua vida parece não estar centrada no Senhor, mas sim em seus relacionamentos ilícitos com prostitutas e mulheres de vida livre.  Sua história é marcada pela falta de disciplina e de verdadeira dedicação, de alguém que poderia ter sido muito maior do que realmente foi.

 

O PECADO COMETIDO

   Nós poderíamos apontar muitos pecados cometidos por Sansão ao longo de sua vida, porém se tivéssemos que sintetizar em uma única ideia, podemos notar que Sansão era um homem guiado pelas suas paixões e seduzido pelas suas visões.  Alguém que nasceu para uma vida de santidade e deixou-se seduzir pelos prazeres deste mundo, desviando seus pés dos caminhos de santidade escolhidos por Deus. O santo que desejava uma vida profana:

a) Profanou o casamento bíblico ao noivar com Timna

   Nesta passagem, além de Sansão quebrar a tradição de seu povo, e desrespeitar a lei divina, sobre os  casamentos mistos (Êxodo 34:16; Deuteronômio 7:3; cf. Gênesis 24:3 4; 26:34, 35). ), ele também desrespeitou a autoridade de seus pais sendo insubmisso a eles. Porque em Israel, o pai era o chefe da família, e, portanto, era ele que controlava todos os membros, desde a esposa até os filhos. Sendo assim, as preferências pessoais de Sansão estavam subordinadas a seus Pais e não o contrário, sendo seu patriarca responsável por escolher sua esposa. Segundo VAUX: “O casamento de Sansão tem semelhanças com uma forma de casamento encontrada entre os árabes palestinos, em que se trata de um verdadeiro casamento, porém, sem coabitação permanente. A mulher é dona de sua própria casa e o marido, conhecido como joz musarrib, “marido visitante”. vem como convidado, ou hóspede, e traz presentes”, notemos que até na forma de casamento Sansão parece não se preocupar com os preceitos religiosos dados pelo Senhor.

b) Profanou seu corpo ao tocar em um cadáver

   Em Juízes 14:8;9, Sansão estava a caminho de casa, vindo de Timna para Zora. E notou que havia se formado uma colmeia no cadáver do leão que ele havia matado. Sansão ao descobrir o enxame de abelhas, ao invés de evitar o contato com o cadáver, que possivelmente estava desidratado, dado o calor da Palestina. Possivelmente formigas abutres e chacais já tinham desempenhado suas funções, gerando as condições ideias para as abelhas, que normalmente as abelhas não se aproximam de um corpo em decomposição. Segundo Morris, o texto hebraico indica que Sansão ao remover o favo de mel raspou-o do cadáver com suas mãos, quebrando, portanto, uma cláusula de seu voto de nazireu. ao tocar voluntariamente num cadáver; e no seu caso, voluntariamente (Nm6:6).

c)  Profanou o amor entre um homem e uma mulher ao desejar a prostituta

   O rebelde Sansão ao ver uma prostitua em Gaza passa a noite com ela. O homem cuja enorme força lhe permitia realizar grandes feitos demonstrava enorme fraqueza pela moral sendo incapaz de controlar suas próprias paixões.

d)  Profanou em definitivo sua consagração ao Senhor por amor a Dalila

   É perceptível que Sansão se preocupava em cumprir somente uma das três clausulas de seu voto de nazireu. Ele já havia tido contato com cadáveres; dificilmente teria deixado de beber álcool; porém seu cabelo continuou intacto. Dalila insistiu inúmeras vezes sobre qual seria a fonte de sua enorme força, a bíblia nos relata que ele mentiu para ela três vezes e em todas, os Filisteus tentaram eliminar sua enorme força fazendo exatamente o que ele havia dito. Quando Dalila o venceu pelo cansaço e este o contou sobre seu voto explicando que seu cabelo nunca havia sido cortado, com certeza ele já imaginara que os Filisteus tentariam utilizar isto contra ele. Contudo em sua perspectiva a força advinda do Senhor não lhe abandonaria, o que não ocorreu. “Então ela chamou: “Sansão, os filisteus o estão atacando! “Ele acordou do sono e pensou: “Sairei como antes e me livrarei”. Mas não sabia que o Senhor o tinha deixado” (Juízes 16:20).

 

QUAIS AS CAUSAS PARA SE COMETER ESTE TIPO DE PECADO?

   Tiago nos ensina em sua carta que o pecado é produzido dentro de nós:

   “Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte” (Tiago 1:14-15). Sansão foi um santo homem de Deus iludido e arrastado pelo seu próprio mau desejo. Ao invés de dedicar-se em concentrar-se nas coisas do Senhor era conduzido pelo que os seus olhos viam, apaixonou-se três vezes por mulheres filisteias porque agradaram seus olhos, foi conquistado pela cultura de um povo que não era o seu e permitiu-se alimentar os desejos do seu coração ao invés de seguir a palavra do Senhor. Jeremias 17:9 descreve o coração do homem como sendo enganoso. E era este coração enganoso que conduzia a vida de Sansão.

   Quantos irmãos nossos que são conhecedores da fé em Cristo Jesus, cujo pão partilhamos juntos, que são grandes instrumentos de Deus, destacando-se com os dons que lhe foram entregues pelo Senhor, não vivem como Sansão? Levando uma vida de pouca santidade e consagração, achando que se o seu coração não os acusa, não há motivo para preocupação, afinal são instrumentos de Deus nas mãos do Senhor. O principal equívoco destes nossos irmãos, assim como de Sansão, é buscar enquadrar nosso relacionamento com Deus em suas vidas, e não o contrário. A princípio muitas coisas podem parecer agradáveis aos nossos olhos, Sansão tinha uma enorme queda por mulheres bonitas, e permitia-se ser levado por estes desejos, alguns irmãos são tentados pela bebida alcoólica, outros pelas suas carreiras profissionais ou acadêmicas, e outros por bens materiais.

   Todos nós temos algum desejo que pode ser agravável aos nossos olhos, porém ruim aos olhos do Senhor, a questão é se estamos dispostos a nos entregarmos aos nossos desejos ou resistir aos ímpetos da carne. Há uma bela frase atribuída a Martinho Lutero que diz: “Não podemos impedir que os pássaros voem sobre as nossas cabeças, mas podemos impedir que eles façam ninhos sobre elas”. Assim também não podemos nos livrar de sermos tentados, mas podemos lutar para não cairmos em tentações.” Mesmo levando uma vida de devassidão, enquanto Sansão teve sua grande força da parte do Senhor ele não refletiu na vida que levará.

   Muitas vezes achamos que há uma correlação entre os resultados de nossos dons e a nossa espiritualidade e podemos incorrer no mesmo erro de Sansão, não pararmos para refletir se estamos levando uma vida que agrada ao Senhor. Sansão tinha uma força extraordinária, porém em sua vida não havia o fruto do Espírito. Qual é a régua que estamos utilizando para medir nossa vida, a satisfação do nosso coração, os nossos dons, o nosso resultado, se estivermos fazendo isto não estamos sendo muito diferentes de Sansão. A nossa única régua deve ser o padrão de santidade estabelecido pelo Senhor em sua palavra, sempre através do prisma da Graça de Deus para não incorrermos no outro extremo o legalismo.

 


QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO?

   Ao longo de muitos anos Sansão foi utilizado por Deus de maneira extraordinária, como se fosse um tipo de super-herói dos quadrinhos modernos, porém de carne e osso. Possivelmente achava-se invencível, cumpridor da profecia de seu nascimento. Estava satisfeito consigo mesmo e conseguia tudo que lhe apetecia aos olhos. Brincou ao longo de toda a sua vida quanto ao seu voto de consagração a Deus, conjecturo que devia achar-se importante demais para que Deus lhe retira-se sua tremenda força e lhe levasse a derrota. O final do capítulo de 16 de Juízes apresenta um Sansão que foi humilhado e cegado pelos inimigos de Israel. Pois sem sua força foi facilmente capturado pelos Filisteus e forçado a trabalhar em um moinho de trigo. Sansão o libertador de Israel no final de sua vida tornou-se somente um escravo cego no meio do povo Filisteu, contemplando somente o fracasso de sua vida.

 

CONCLUSÃO

   Sansão nos serve de alerta quanto as seduções deste mundo, pois quando nos permitimos ser levados por ele, o final será sempre um sinal de derrota e humilhação, Sansão nos ensina que não importa qual seja sua força, se nos entregarmos aos valores que estão presentes neste mundo, cairemos. A cultura ímpia deste mundo é sem dúvida uma grande inimiga do povo de Deus, no entanto a história de Sansão nos revela que visualizamos nosso maior inimigo quando olhamos frontalmente para um espelho. Nós mesmos.  Nossa maior opressão não está na força de nossos inimigos, mas sim, muitas vezes na nossa falta de fidelidade para com Deus, que nos torna fortes. A história de Sansão também nos serve como um sinal de Esperança, pois revela um Deus que, perdoador, não abandona os Seus filhos, pelo contrário, ouve sua oração de arrependimento. Como último ato da vida de Sansão o Senhor ouviu a sua voz e derramou mais uma vez a Sua graça e Sua força para exercer o seu chamado diante Deus. Não importa se você está humilhado, fraco e cego. Deus sempre escutará a oração de um coração arrependido.

 

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO EM CLASSE

Qual a semelhança entre um nazireu de Deus e um cristão separado por Deus para uma vida santa?

R.

2. Quais atitudes Sansão poderia ter evitado para não cometer os erros que cometeu? Explique.

R.

3. Quais são as atitudes corretas que Sansão deveria ter tomado? Explique.

R.

4. O que devemos fazer quando nos encontramos arrependidos e sem esperança quanto aos nossos pecados?

R.

5. Até quando o Senhor escuta nossas orações?

R.

Artigos Relacionados

As bênçãos da salvação
  21 Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; 22 Isto é, a justiça de Deus pela fé em...
As bênçãos da salvação, quarta-feira
  Dizendo: Que queres que te faça? E ele disse: Senhor, que eu veja. E Jesus lhe disse: Vê; a tua fé te salvou. E logo viu, e seguia-o,...
As bênçãos da salvação, segunda-feira
  Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da...
Perseverar, diz a Palavra, quarta-feira
  Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo.     Hebreus 3:12 ...