E TRANSGREDIRAM os filhos de Israel no anátema; porque Acã filho de Carmi, filho de Zabdi, filho de Zerá, da tribo de Judá, tomou do anátema, e a ira do SENHOR se acendeu contra os filhos de Israel.    

Josué 7:1 

  Israel pecou, e transgrediram a minha aliança que lhes tinha ordenado, e tomaram do anátema, e furtaram, e mentiram, e debaixo da sua bagagem o puseram.    

Josué 7:11 

INTRODUÇÃO

   Moisés descreveu a Terra Prometida como uma “terra de montes e de vales” (Deuteronômio 11:11). Creio que essa declaração é mais do que uma descrição do contraste entre a paisagem montanhosa de Canaã e a topografia plana e monótona do Egito. Trata-se também de uma descrição da geografia da vida de fé, retratada pelas experiências de Israel em Canaã. Quando, pela fé, nos apropriamos de nossa herança em Cristo, experimentamos picos de vitória e vales de desânimo. O desânimo não é inevitável na vida cristã, mas devemos nos lembrar de que não há montanhas sem vales. Josué 7 começa indicando que haverá uma mudança, pois Josué está prestes a descer do pico da vitória em Jericó para o vale da derrota em Ai. O Capítulo 6 do livro de Josué termina com o seguinte versículo: “Assim, era o Senhor com Josué; e corria a sua fama por toda a terra” (Josué 6:27). E o capítulo 7 Inicia assim: “E prevaricaram os filhos de Israel no anátema; porque Acã, filho de Carmi, filho de Zabdi, filho de Zerá, da tribo de Judá, tomou do anátema, e a ira do Senhor se acendeu contra os filhos de Israel” (Josué 7:1). A conjunção Mas ou E indica que tudo ia bem até que Israel pecou. O Pecado é uma interrupção no progresso daquilo que Deus quer fazer em nossas vidas. Hoje estudaremos sobre o pecado de Acã e veremos que o pecado cometido por este homem trouxe sérias consequências para ele mesmo, para sua família, e para todo o povo de Israel.

 

CONTEXTO

   Podemos ler o capítulo 7 de Josué como uma continuação do capítulo 6; no capítulo 6 está descrita uma das histórias mais empolgantes e conhecidas da Bíblia, a queda das muralhas de Jericó. O Senhor orientou Josué em como se daria a batalha contra aquela cidade extremamente fortificada. Neste mesmo capítulo, encontramos sérias advertências sobre os despojos da cidade. Naquele tempo, toda cidade conquistada passava a ser de quem a conquistava bem como tudo o que houvesse nela, mas o Senhor advertiu a Josué e a todo Israel: “A cidade, com tudo o que nela existe, será consagrada ao Senhor para destruição. Somente a prostituta Raabe e todos os que estão com ela em sua casa serão poupados, pois ela escondeu os espiões que enviamos. Mas fiquem longe das coisas consagradas, não se apossem de nenhuma delas, para que não sejam destruídos. Do contrário trarão destruição e desgraça ao acampamento de Israel” (Josué 6:17-18 NVI – grifo nosso).

   Ao finalizarmos a leitura do capítulo 6, temos a impressão de que tudo ocorreu conforme Deus ordenou. Aliás, creio que Josué e todos os líderes de Israel pensavam assim. A vitória contra Jericó animou a todo o Israel e assim eles partiram para mais uma batalha, porém agora a cidade era pequena e aparentava não oferecer muita resistência. Após uma investigação sobre a cidade de Ai, Josué foi aconselhado a enviar um pequeno exército com pouco mais de 3 mil homens, pois a vitória parecia fácil. Porém a Bíblia assim narra: “Mas os homens de Ai os puseram em fuga, chegando a matar trinta e seis deles. Eles perseguiram os israelitas desde a porta da cidade até Sebarim, e os feriram na descida. Diante disso o povo desanimou-se completamente” (Josué 7:4)..

   O que parecia uma vitória fácil se transformou em um pesadelo, pais de família morreram e o desânimo tomou conta do povo. Josué e os líderes de Israel buscam a Deus para saber o que houve, por que eles foram tão facilmente derrotados, e Deus então responde: “Israel Pecou” (V.11). Antes de nos aprofundarmos sobre o pecado cometido é importante destacar que Josué assim como toda liderança falhou, perceba que eles buscam a Deus após a derrota, mas não antes da batalha, eles enviaram espias e confiaram no relato que os homens trouxeram, mas não consultaram a Deus sobre como deveriam proceder contra Ai. Josué e seus generais agiram pela aparência e não pela fé.

 

O PECADO DE ACÃ

   Acã era descendente de Judá, membro da tribo da qual nasceriam Davi e Jesus. No hebraico, seu nome significa “perturbação”, sentido apropriado para aquele que “turbou” a Israel e foi “turbado” pelo Senhor (v.25). Ele desobedeceu, conscientemente, à ordem do Senhor. Dessa forma, violou a Aliança com Deus. (V.21) Tornando-se desobediente, Acã negou a fé no Senhor; não colocou as coisas de Deus em primeiro lugar e deu ouvido à ganância pelas riquezas. Ele achou mais importante obedecer à sua cobiça do que obedecer a Deus. Preferiu se rebelar contra o Senhor a obedecer-Lhe. No momento em que desobedeceu, a cobiça deu lugar ao pecado contra Deus, porque a “cobiça começa com o olhar, depois o desejo e, por fim, dá a luz ao pecado, e este produz a morte” (Tiago 1:15 BV). Dominado pela avareza e pela ambição, Acã apropriou-se de alguns utensílios declarados anátemas: uma capa babilônica, duzentos siclos de prata e uma cunha de ouro (v.21), ou seja, 200 barras de prata pesando aproximadamente 2,6 quilos.

   Fico pensando, será que Acã agiu sozinho nisto? Será que sozinho ele conseguiria carregar 200 barras de prata de mais de 2,6 quilos cada? Será que ele não teve a ajuda dos filhos para levar tudo isso para sua tenda e depois esconder? Sinceramente acredito que sim, e por isso toda sua família foi exterminada; o fato de toda sua família ser sentenciada à morte, bem como seus animais, sua tenda e tudo quanto tinha também demonstra a aversão que Deus tem para com o pecado, mostrando que o pecado deve ser exterminado sem deixar nenhuma raiz.

   Deus deixou claro que era Israel quem havia pecado e não somente Acã como indivíduo (Josué 7:1,11). Por que Deus colocou a culpa da desobediência de um só soldado sobre a nação toda? Porque Israel era um só povo no Senhor e não apenas um conjunto de tribos, clãs, famílias e indivíduos. Deus habitava no meio do arraial de Israel, e era isso o que fazia dos israelitas o povo especial de Deus (Êx 19:5,6). O Deus Jeová caminhava no meio do povo, e, portanto, o arraial precisava ser mantido santo (Deuteronômio 23:14). Qualquer um que desobedecesse a Deus profanaria o acampamento, e essa profanação afetava o relacionamento do povo com o Senhor e dos israelitas uns com os outros. O povo de Deus hoje é um só corpo em Cristo. Consequentemente, pertencemos uns aos outros e afetamos a vida uns dos outros (1 Coríntios 12:12). Qualquer fraqueza ou infecção numa parte do corpo humano contribui para a fraqueza e infecção das outras partes. O mesmo se aplica ao corpo de Cristo. “Se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam” (1 Coríntios 12:26). “Um só pecador destrói muitas coisas boas” (Eclesiastes 9:18).

 

AS CAUSAS PELAS QUAIS ACÃ PECOU

   A primeira causa é sem dúvida a desobediência, Acã ouviu seu comandante ordenar que todos os despojos de Jericó deveriam ser consagrados ao Senhor e ir para o tesouro de Deus (Josué 6:1 7:21,24).  Uma vez que Jericó era a primeira vitória de Israel em Canaã, as primícias dos despojos pertenciam ao Senhor (Provérbios 3:9). No entanto, Acã desobedeceu e tomou um caminho perigoso que o conduziu ao pecado e à morte (Tiago 1:13-15): “Vi [...] cobicei [...] e tomei [...]” (Josué 7:21). Eva fez a mesma coisa quando deu ouvidos ao diabo (Gênesis 3:5) e também Davi quando se entregou à carne (2 Samuel 11:1-4).

   O pecado começou com os olhos. Ele viu essas coisas finas, como Eva tinha visto o fruto proibido, e foi 34 estranhamente enfeitiçado pelo visual. O coração acaba sofrendo quando vai atrás daquilo que é atraente aos olhos. Precisamos fazer um pacto com nossos olhos, porque, se eles se desviarem, certamente chorarão por causa disso. O pecado procedeu do coração. Acã reconhece: cobicei-os. Assim, a concupiscência foi concebida e gerou o pecado. Aqueles que desejam guardar-se das ações pecaminosas devem verificar e mortificar em si os desejos pecaminosos, particularmente o desejo da riqueza mundana, que chamamos mais especificamente de cobiça. Como é perverso o amor ao dinheiro! Se Acã tivesse olhado para essas coisas com os olhos da fé, teria visto as coisas amaldiçoadas, e as teria temido, mas ao olhar para elas com um olhar sensual, ele viu que eram agradáveis e as cobiçou. Não foi o olhar, mas a concupiscência que o seduziu.

 

CONSEQUÊNCIAS DO PECADO DE ACÃ

   Jamais subestime o estrago que uma só pessoa fora da vontade de Deus pode fazer. A desobediência de Abraão no Egito quase lhe custou a esposa (Gênesis 12:10-20); a desobediência de Davi ao realizar um censo sem a permissão de Deus causou a morte de setenta mil pessoas (2 Samuel 24), e a recusa de Jonas em obedecer a Deus quase fez afundar um navio. No caso de Acã, primeiramente, Israel sentiu o peso do pecado, 36 homens morreram na primeira batalha contra Ai, imagine a dor e o sofrimento para as famílias destes homens, muitos deles talvez pais de família.

   O pecado de Acã também trouxe desânimo para Josué bem como para todo o povo, sem saber exatamente o que estava acontecendo o povo desanimou e até mesmo reclamou contra Deus por causa da derrota. Sua família, assim como ele próprio, sentiram as consequências do pecado “Então Josué, junto com todo o Israel, levou Acã, bisneto de Zerá, e a prata, a capa, a barra de ouro, seus filhos e filhas, seus bois, seus jumentos, suas ovelhas, sua tenda e tudo o que lhe pertencia, ao vale de Acor. Disse Josué: “Por que você nos causou esta desgraça? Hoje o Senhor lhe causará desgraça”. E todo o Israel o apedrejou, e depois apedrejou também os seus, e os queimou no fogo” (Josué 7:24-25). A Bíblia diz que o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23) e Acã é um belo exemplo disso.

 

ACÃ PODERIA TER EVITADO TUDO ISSO

   Acã talvez imaginou que depois de tanto sofrer como escravo tinha direito a alguma riqueza, mas infelizmente ele não conseguia visualizar que aquilo que Deus tem preparado para os que o amam é muito maior do que qualquer coisa que possamos imaginar. O Fato é que Acã preferiu as coisas terrenas ao invés de ser obediente a Deus, O tesouro que Acã achou que ia resolver seus problemas só trouxe destruição e morte. Se ele tivesse sido grato a Deus por tudo o que o Senhor já tinha feito por ele, sua família e seu povo, ele teria agido diferente. Se o propósito de Acã fosse cumprir a missão dada por Deus ao invés de buscar seus próprios interesses, seu nome seria conhecido hoje não pelo pecado que cometeu. Acã não estava passando nenhum tipo de necessidade, pois o Senhor estava cuidando dele e de sua família assim como de todo o Israel, mas ele se deixou levar pela cobiça e seu final foi trágico.

 

APLICAÇÃO

   O plano de Acã parecia perfeito, roubar um tesouro, escondê-lo para depois gastar, no meio de milhares de soldados quem ia perceber o que ele estava fazendo? Mas ele não levou em consideração que Deus é onipresente, onipotente e onisciente, os homens de Israel podem não ter visto Acã cometendo o pecado que cometeu, mas Deus que a tudo vê deixou que Acã seguisse com seu plano para ver até onde ele estava disposto a ir para encobrir sua transgressão. Note que Acã não demonstrou nenhum pingo de remorso quando Israel perdeu a batalha e foi anunciado por Josué que havia pecado no meio do arraial, ali era a chance de ele reconhecer seu erro e se arrepender, porém ele preferiu continuar com a mentira porque talvez acreditava que não seria descoberto.

   Mas e quanto a nós, temos cometido algum pecado oculto aos olhos dos homens? Imagino que nenhum de nós roubou um banco e está escondendo o dinheiro em nossa casa, mas e quanto aquilo que consideramos “pecadinhos”? Devemos lembrar que o pecado de Acã primariamente foi a desobediência à Palavra de Deus, o Senhor havia dado uma ordem e Acã não obedeceu. Se fizermos uma análise mais cuidadosa perceberemos que podemos estar cometendo o mesmo pecado que Acã cometeu. Talvez aí esteja a resposta para os problemas que você esteja enfrentando nos negócios, família e igreja.

   Deus abençoa seu povo quando ele age com fidelidade. E, quando vive conforme os padrões estipulados por Ele, redunda em grandiosa graça. Mas tudo isso perde o valor se tivermos no meio da Igreja um pecado oculto, pessoas vivendo deliberadamente na prática de pecado. Se tal pessoa tem um ministério, a situação fica pior ainda. Um líder desobediente e em pecado não tem autoridade para abençoar ninguém. Isso é muito sério! O pecado tem de ser extirpado e a santidade, restaurada. O texto diz que o povo prevaricou, agiu infielmente contra o Senhor. Negou a justiça de Deus, o caminho de retidão e tornou-se igual aos perversos. E quando isso acontece no meio do povo da Aliança, Deus exige purificação no meio do povo. O Senhor não deixa o povo viver em rebeldia e impureza. A Igreja de Cristo deve viver em santidade para que a ira divina não venha sobre ela. Que o pecado de Acã sirva de exemplo e alerta para toda a Igreja: nós não somos tratados como indivíduos isolados, mas como um corpo orgânico – o corpo de Cristo. E Cristo julgará a sua Igreja conforme as suas ações.

   Paul Hoff propôs quatro lições práticas que podemos extrair dessa passagem das Escrituras Sagradas; são elas:

• Deus exige que seus soldados sejam puros; se não forem, perderão as batalhas. A santidade é uma condição indispensável ao triunfo.

• Não existe algo tão insignificante que não possa derrotar o povo de Deus quando ele não tem a ajuda divina. Ai era um lugar muito pequeno.

• O pecado de um indivíduo pode trazer tristes consequências para todos. “Nenhum de nós vive para si” (Romanos 14:7). Trinta e seis homens morreram, e a comunidade ficou manchada e vencida pelo pecado de uma família.

• A oração não anula o castigo quando há pecado no acampamento. Nada torna a oração tão ineficaz do que o pecado oculto.

 


CONCLUSÃO

  Em nosso estudo pudemos ver o quanto o pecado é destrutivo, o pecado nunca traz sofrimento apenas ao pecador, mas geralmente pessoas que convivem com o pecador também são afetadas. Por isso assim como nos dias de Josué o pecado deve ser extirpado do meio do povo. É importante frisar que existe diferença entre um pecador que se arrependa e abandona seu erro e aquele que sabe que está pecando, mas decide viver no erro e às vezes até mentindo aparentando ser um cristão autêntico. Isso é abominação aos olhos de Deus e não ficará impune. Que possamos ser obedientes a Deus e viver o propósito que Ele tem para nós!

 


QUESTÕES PARA DISCUSSÃO EM CLASSE


1. Sabendo que o pecado foi de Acã, explique por que o autor diz que todo o povo pecou? (v.1)
R.
2. Como o pecado de Acã foi descoberto?
R.
3. Onde ele havia escondido os utensílios? Podemos dizer que a família foi “cúmplice” do delito de Acã?
R.
4. Acã poderia ter evitado esse pecado? De que forma?
R.
5. Em nossos dias, o pecado oculto de um pode afetar a igreja como um todo? De quais formas?
R.
6. Em relação a derrota para Ai, qual foi o erro de Josué?
R.

Artigos Relacionados

O pecado de Jonas, quinta-feira
  Então Jonas saiu da cidade, e sentou-se ao oriente dela; e ali fez uma cabana, e sentou-se debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria...
O pecado de Jonas, quinta-feira
  E orou ao SENHOR, e disse: Ah! SENHOR! Não foi esta minha palavra, estando ainda na minha terra? Por isso é que me preveni, fugindo para Tá...
O pecado de Jonas, quarta-feira
  E OROU Jonas ao SENHOR, seu Deus, das entranhas do peixe. E disse: Na minha angústia clamei ao SENHOR, e ele me respondeu; do ventre do...
O pecado de Jonas, terça-feira
  E disseram-lhe: Que te faremos nós, para que o mar se nos acalme? Porque o mar ia se tornando cada vez mais tempestuoso. E ele lhes disse:...