Davi, filho de Jessé, foi quem espiritualizou ou imortalizou a ideia de "sentir sede de Deus" (Salmos 42). A temática do "sedento" na mente dos escritores bíblicos, principalmente os salmistas, parecia transmitir de maneira bem vívida a forte afeição ou apego da alma que um adorador sentia pelo Senhor. Muito mais do que falar de obviedades, tal tema vem falar de algo velado ou ignorado. E que no mínimo precisa ser ouvido.

No Evangelho de João Jesus trata da temática do "sedento" com a mulher samaritana. Os ensinamentos que Jesus apresenta ali tem validade para todos os sedentos de todas a épocas. As lições do poço, também podem ser aprendidas por aqueles que têm uma sede de alma, mas ainda não a detectaram ou a está satisfazendo com o suprimento errado. Nesta conversa Jesus disse para a samaritana que: 

"...  aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna” (João 4:14).

Mas, como pode ser isso? Como alguém que finalmente conhece a Cristo não vai ter mais sede? Se pararmos para ouvir a luta dos cristãos de hoje muitos testemunharão que ainda sentem sede. A promessa feita por Jesus aqui não tem haver com a isenção da exaustão da alma. Todo peregrino em jornada, de fato, sentirá sede devido à caminhada para a Cidade Celestial. O que Jesus está dizendo é que se alguém o aceitar como Senhor e Salvador terá ao seu dispor uma fonte de águas que saciará a sua sede espiritual de verdade. As águas oferecidas por Jesus não são um paliativo, são a solução. Enquanto está em jornada o crente pode sempre beber desta água, pois há uma fonte jorrando dentro dele! Ele sentirá sede, mas saberá onde encontrar. É por isso que nunca mais sentirá sede, pois já sabe onde encontrar a verdadeira fonte que sacia. A mulher samaritana conhecia a temática da "águas vivificantes". No Antigo Testamento encontramos o papel do Espírito Santo atrelado as funções da água. Porém, talvez ela ainda não soubesse como seria isso na prática, uma vez que ainda não havia percebido que ela estava sob a aurora messiânica encarnada na pessoa e obra de Jesus.

Hoje em dia muitas pessoas até reconhecem uma possível "sede". Mas não sabe dizer "porque" e nem sabem "como" saciá-la. Na tentativa de solucionar o problema, muitos se valem de suprimentos que passam uma falsa sensação de satisfação. Porém, nenhuma delas jorra para a vida eterna. Somente em Jesus os sedentos se saciarão. Saciarão um anseio indizível em palavras, às vezes. Anseios que indicam rumores de outro mundo, de uma realidade ainda desconhecida pela maioria.

Vinde às águas, todos vós que estais com esta sede!

Artigos Relacionados

A obra do Espírito Santo no antigo testamento, domingo
  NO princípio criou Deus os céus e a terra.     Gênesis 1:1    E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo;...
Processão do Espírito Santo
  Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de...
Processão do Espirito Santo, sábado
  Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso...
Processão do Espirito Santo, sexta-feira
  Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado...