Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;

Mateus 5:5 

INTRODUÇÃO

   Continuando o estudo das bem-aventuranças, que Jesus pregou no sermão do monte, chegamos no verso 5 de Mateus, capítulo 5, que fala sobre mansidão. Este versículo é bem pequeno, mas muito profundo. Mansidão não é algo natural nos seres humanos. Existem pessoas mais nervosas que demonstram sua ira mais facilmente, já outras, são mais sossegadas mantendo a calma por mais tempo. Mas, o ponto aqui é que mansidão não está relacionada apenas ao controle da ira, é muito mais que isso. Pois encontramos mansidão como sendo parte do fruto do Espírito, descrito em Gálatas 5:22-23 “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei”. A mansidão, fruto do Espírito, não é algo natural em nós. Portanto, é necessária a ação do Espírito Santo na vida da pessoa para que ela possa cultivar de forma constante essa bem-aventurança. Logo, é de extrema relevância o estudo aprofundado dessa virtude na vida do cristão.

 

CONCEITO

   Primeiramente, antes de começar o estudo, é importante entender o conceito do tema que abordaremos nessa lição. Isso permite uma melhor compreensão do ponto, possibilitando uma aplicação mais eficaz do estudo no dia-a-dia das pessoas. John Stott vai buscar no grego a palavra usada por Jesus da seguinte forma: “O adjetivo grego pra os significa “gentil”, “humilde”, “atencioso”, “cortês” e, portanto, o que exerce autocontrole, sem o qual estas qualidades seriam impossíveis13. Essa definição deixa clara a amplitude do termo mansidão e o quanto ele é importante, mas também expressa a dificuldade de exercê-lo, pois são características difíceis de seguir no cotidiano. Nesta mesma linha, Fritz Rienecker faz uma aplicação desse conceito: “...mansidão é ser amável, sem amargura. Portanto, são bem-aventurados os que são capazes de suportar sem amargura e sempre de modo amigável as cargas pesadas que lhes são impostas.” Veja quão profundo se torna o versículo de Mateus 5:5 com o auxílio dos conceitos destes dois autores e o quanto a nossa sociedade carece de pessoas que ajam dessa maneira.

 

CARACTERÍSTICAS DA MANSIDÃO

   Uma vez conceituado o tema, é importante entender como são as características de uma pessoa mansa, quais suas atitudes diante de situações da vida e suas reações em face das circunstâncias. Dessa forma, será possível entendermos quais os pontos que precisamos trabalhar em nossa vida para desenvolvermos esse espírito manso, ou seja, vivermos na prática o que Jesus pregou no Sermão do Monte.

   Às vezes, a palavra manso pode nos levar a pensar em uma pessoa passiva, que não se impõe sobre determinada situação ou até mesmo uma pessoa que apanha verbal ou fisicamente de alguém sem reagir de forma agressiva. No entanto, Jesus disse: “...aprendam de mim, porque sou manso e humilde de coração...” (Mateus 11:29), afirmando que Ele mesmo era manso, mas sabemos que Jesus não era uma pessoa apática. Muito pelo contrário, Ele veio ao mundo para mostrar àquela sociedade uma nova forma de se relacionar com Deus, pois eles haviam se perdido em suas doutrinas e rituais que mais eram um fardo do que um relacionamento com Deus. Ele mesmo afirmou: “[...] atam fardos pesados, difíceis de carregar, e os põem sobre os ombros dos outros [...]” (Mateus 23:4). Ele confrontou os líderes religiosos daquela época e Se entregou para ser levado à cruz, não foram os soldados ou os judeus que O prenderam e mataram. Mas Ele Se entregou, pois Ele mesmo declara: “Ninguém tira a minha vida; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para entregá-la e também para reavê-la. Este mandato recebi de meu Pai.” (João 10:18) Veja que Jesus não era passivo ou frouxo. Longe disso, Ele sabia quem era e Se portava como tal. Nesse caso, fica a pergunta: como seria uma pessoa mansa?

   Em um de seus comentários, Hernandes Dias Lopes, nos responde essa pergunta apresentando várias características de uma pessoa mansa:

   Uma pessoa mansa é submissa à vontade de Deus: Uma pessoa mansa não se rebela contra Deus nem murmura. Ela aceita a vontade de Deus de bom grado.15 O autor é muito feliz nessa colocação, pois esse é um ponto fundamental na vida do cristão. O apóstolo Paulo diz: “Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele” (Romanos 6:8). E ele continua “Assim também vocês se considerem mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus” (Romanos 6:11). Fica claro que o cristão precisa deixar de seguir suas próprias vontades e viver uma vida que agrade o coração de Deus. É como se o seu “EU” morresse para que a pessoa pudesse viver para Cristo. Mas isso não pode ser um fardo pesado para viver. Quem tem a virtude da mansidão vive em submissão alegre e dando graças ao Senhor Deus por tudo que Ele é e faz na vida dessa pessoa. É a própria Bíblia que orienta: “Em tudo deem graças, porque esta é a vontade de Deus para você sem Cristo Jesus” (1 Tessalonicenses 5:18).

   Uma pessoa mansa está debaixo do controle de Deus: O manso está sob a autoridade e o controle de Deus. Ele obedece às rédeas do Altíssimo. Nesse ponto, o autor deixa claro que não basta renunciar os nossos planos para seguir os de Deus. Além dos planos, o manso entrega o controle total da sua vida nas mãos do Senhor, pois ele segue o versículo do salmista, que exorta: “Entregue o seu caminho ao Senhor, confie nele, e o mais ee fará” (Salmos 37:5). Esse verso é muito profundo, pois quando entregamos o nosso caminho ao Senhor, Ele passa a guiar todos os nossos passos de acordo com a vontade dEle. E, novamente, essa atitude não é por medo ou por interesse, o manso faz isso de forma espontânea e alegre, porque entende que isso é o melhor.

   O manso é aquele que tem a força sob controle. Ele tem domínio próprio. A Bíblia diz: “É melhor ter paciência do que ser herói de guerra; o que domina o seu espírito é melhor do que o que conquista uma cidade” (Provérbios 16:32). Veja a importância que Deus dá para a pessoa que consegue controlar seus impulsos, ela é considerada mais valiosa do que um valente de guerra. Usando esse conceito, Hernandes parafraseia o verso de Mateus 5:5 da seguinte forma: “Bem-aventurado o homem cujos instintos, paixões e impulsos estão sob controle. Bem-aventurado o homem que aprendeu a dominar-se.” Novamente fica claro que esse comportamento não é natural nas pessoas, pois quando ficamos irados ou somos surpreendidos por alguma situação, perder o controle das emoções e ações é muito mais fácil de acontecer. Somente com o auxílio do Espírito Santo conseguiremos manter o controle em todo o tempo e em qualquer situação.

   O manso é aquele que não reivindica os seus próprios direitos. Martyn Lloyd Jones diz que o indivíduo que é manso não exige coisa alguma para si mesmo. Não considera todos os seus legítimos direitos algo a ser reclamado. Não faz exigências quanto à sua posição, aos seus privilégios, às suas possessões e à sua situação na vida.19 Quando analisamos a vida de Jesus, percebemos momentos em que Seus discípulos discutiam entre eles quem seria o maior, Cristo pega uma bacia e começa a lavar os pés deles, demonstrando um comportamento totalmente diferente. Ele é que deveria ser servido, pois tinha todas as prerrogativas de autoridade, mas prefere demonstrar humildade e servir as pessoas. Quando Jesus foi rejeitado em Suas pregações na cidade de Nazaré, ao invés d’Ele se impor reivindicando Seu status ou fazendo grandes maravilhas mostrando Seu poder e Sua autoridade, Ele diz: “...Nenhum profeta é desprezado, a não ser na sua terra, entre os seus parentes e na sua casa. Não pôde fazer ali nenhum milagre, a não ser curar uns poucos doentes, impondo-lhes as mãos.” (Marcos 6:4-5) Noutra situação que Jesus poderia reivindicar Seus direitos, é quando Ele está para ser preso e um de Seus discípulos tenta impedir sacando a espada, Jesus diz: “Coloque a espada de volta no seu lugar, pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão. Ou você acha que não posso pedir a meu Pai, e ele me mandaria neste momento mais de doze legiões de anjos?” (Mateus 26:52-53) Veja o poder e o direito que Jesus tinha, porém Ele não usou isso para benefício próprio.

   O manso é aquele que está disposto a sofrer o dano: Não admitimos ser diante dos homens aquilo que admitimos ser diante de Deus. Não aceitamos que os homens nos tratem como de fato somos: míseros pecadores. Não admitimos que os homens lancem em nosso rosto aquilo que confessamos diante de Deus. Esse conceito vai na contramão do que é dito no mundo. Existe uma máxima que diz: “bateu, levou,” pois vivemos numa sociedade em que a pessoa julga o outro baseado na sua própria justiça egoísta e parcial, não existe amor nem humildade. Pois o orgulho próprio tem dominado as pessoas de tal maneira que a frase “não leve desaforos para casa” está cada vez mais em alta. O pior de tudo é que eles não percebem ou acham que necessitam de mudanças. Muito pelo contrário, acham que esse é o certo e o justo a se fazer. Entretanto, não é isso que encontramos na Bíblia, Jesus disse: “Digo, porém, a vocês que me ouvem: amem os seus inimigos, façam o bem aos que odeiam vocês. Abençoem aqueles que os amaldiçoam, orem pelos que maltratam vocês. Ao que lhe bate numa face, ofereça também a outra; e, ao que lhe tirar a capa, deixe que leve também a túnica” (Lucas 6:27). Jesus apresenta um comportamento totalmente diferente do que os judeus da época esperavam. Ele pede para alguns discípulos entrarem em uma aldeia na região de Samaria pedindo pousada, mas os samaritanos não os ajudaram. Então, quando voltaram para Jesus, eles perguntam “Senhor, quer que mandemos descer fogo do céu para os consumir?” (Lucas 9:54). Veja a atitude do Mestre “Mas Jesus, voltando-se, os repreendeu. E seguiram para outra aldeia” (Lucas 9:55). Jesus mostra que eles precisavam aprender oque é ser manso, e essas foram algumas das formas de Cristo mostrar, na prática, como viver isso.

   O manso é aquele que não luta para defender sua própria honra: Uma pessoa mansa suporta injúrias e até recompensa o mal com o bem. Uma pessoa mansa não é facilmente provocada. Um espírito manso não se inflama facilmente. Jesus não revidou ultraje com ultraje. Em vez de despejar ira sobre Seus algozes, orou em favor deles.21 Vemos que, diante das autoridades romanas, eles questionaram Jesus em vários pontos, mas a Bíblia diz que Cristo não respondeu, Ele não discutiu e nem exigiu justiça.

 

A MANSIDÃO DE MOISÉS

   É fato que pegar o exemplo de Jesus fica até difícil de comparar conosco, pois Ele é Deus e não teve pecado, já nós somos pecadores e não conseguimos chegar no nível de Cristo. No entanto, teve outro homem na Bíblia que é caracterizado como manso, em Números 12:3 está expresso: “...Moisés era um homem muito manso, mais do que qualquer outro sobre a terra.” Imagine liderar mais de 2 milhões de pessoas num deserto sem nenhum recurso ou infraestrutura sólida de uma cidade normal. Mas sim, vivendo como nômades. Lembrando que esse povo vivia reclamando para Moisés que estava faltando água, que faltava comida, que tinha saudades do Egito, que queria voltar para lá... Certa vez, eles até reclamaram que estavam enjoados de comer o maná “...já estamos enjoados dessa comida ruim” (Números 21:5 última parte). Para aguentar uma missão dessas sem desistir, com toda certeza a pessoa precisaria ser muito mansa. Senão, desistiria ou até mesmo brigaria e ofenderia seus liderados. No entanto, a Bíblia diz que o povo amava e respeitava tanto Moisés que eles choraram a morte dele por 30 dias (Deuteronômio 34:8).

   Mas essa mansidão não foi uma característica de Moisés desde sempre. Certa vez, quando ele ainda estava no palácio do Egito, viu um egípcio espancando um hebreu: “Olhou para todos os lados e, vendo que não havia ali ninguém, matou o egípcio e escondeu o corpo na areia” (Êxodo 2:12). Analisando o que foi estudado nesta lição até agora, fica claro que essa atitude não demonstra mansidão. Pelo contrário, ele quis fazer justiça com suas próprias mãos. Para agravar a situação, isso foi descoberto e tornou-se necessário fugir do Egito para proteger sua própria vida.

   Ao fugir, ele vai morar numa terra distante por um bom tempo. Nesse período, ele percebe que, no alto de um monte, tem uma sarça pegando fogo. No entanto, ela não se consome. Por curiosidade, resolve subir no monte para ver esse fenômeno. Ao chegar lá, ele tem um encontro com o Senhor Deus que lhe dá uma missão: “Agora venha, e eu o enviarei a Faraó, para que você tire do Egito o meu povo, os filhos de Israel” (Êxodo 3:10). Pelo visto nessa lição, o manso se submete à vontade de Deus e ele não tem problema algum em deixar o Senhor controlar sua vida. Mas, não é o que acontece nessa conversa de Moisés com Deus. Ele começa a dar desculpas para não ir e ainda coloca vários empecilhos no projeto do Senhor, até que Ele expressa Seu descontentamento. Confira-se: “Então a ira do Senhor se acendeu contra Moisés. [...]” (Êxodo 4:14) No fim, depois que Deus responde todas as perguntas, dando soluções aos problemas levantados, Moisés aceita e começa o cumprimento de sua missão.

   Veja que não foi algo fácil e nem rápido. Isso evidencia que o desenvolvimento da mansidão na vida de Moisés foi um processo gradativo e progressivo. Seu relacionamento com Deus o levou a ser quem ele foi.

 

CONCLUSÃO

   Essa lição mostrou o conceito e características de uma pessoa mansa. Jesus é o exemplo máximo desse comportamento. Portanto, podemos aprender muito com Ele. Além de Cristo, na Bíblia há vários exemplos incentivando o desenvolvimento da mansidão. O sábio diz: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Provérbios 15:1). Já no Novo Testamento, o apóstolo Paulo encoraja os efésios a viverem de forma mansa. Vejamos: ”[...] peço que vocês vivam de maneira digna da vocação a que foram chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando uns aos outros em amor,” (Ef. 4:1-2). A mansidão é fundamental na vida do cristão. Entretanto, não é fácil agir dessa maneira movidos pela nossa própria força. Porém, por intermédio do Espírito Santo, o cristão pode ser manso. Desta forma, andará na contramão da cosmovisão da sociedade atual e mostrando ao mundo que é possível viver da forma que agrada o nosso Pai Celestial.

 

QUESTÕES PARA REFLETIR EM CLASSE

1. Se a mansidão é algo tão benéfico, por que é tão difícil a sociedade reconhecer e incentivar esse comportamento?

R.

2. Liste cinco comportamentos que você precisa mudar para desenvolver um espírito manso. O quanto você está comprometido em fazer isso?

R.

3. De acordo com este estudo, como o cristão pode ser manso?

R.

Related Articles

Bem-aventurados serão se praticarem, domingo
Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Filipenses 2:3...
Bem-aventurados os que não viram e creram
Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram. João 20:29...
Bem-aventurados os que não viram e creram, sábado
Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível. Hebreus 11:27...
Bem-aventurados os que não viram e creram, sexta-feira
Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o...